Posts Tagged ‘API’

API e Internet das Coisas, entenda essa relação entre esses temas.

A_Internet_das_Coisas_MI_Marketing_e_Internet

A Internet das Coisas trabalha com um conceito simples e genial: tudo está sempre conectado e pode ser controlado, ou gerenciado e analisado, através de computadores ou dispositivos móveis como smartphones e tablets. Lâmpadas inteligentes, casas completamente automatizadas e até mesmo fábricas conectadas podem ser gerenciadas à distância. O futuro parece promissor e as tecnologias já disponíveis estão cada vez mais baratas.

Mas para que a Internet das Coisas seja possível e para que possamos ter essa infinidade de objetos inteligentes, é necessário um bom desenvolvimento de software que transforme essas ideias em realidade. Para aumentar as possibilidades, criar programas que sejam facilmente expansíveis e consigam se encaixar com novas demandas é cada vez mais essencial, e isso pode ser feito através de APIs.

O que torna a comunicação IoT diferente da tradicional é a parte “internet” dentro dessa equação. Isso faz com que a Internet das coisas seja mais complexa a partir do ponto de vista de negócio e técnico também. API tornar a Internet das coisas mais simples e desempenha um papel crucial na aceleração da adoção dessa nova tecnologia. Nesse post você vai entender como o uso de APIs é a chave para trabalhar com internet das coisas, e as possibilidades que essa relação traz para o seu negócio. Acompanhe!

O primeiro passo para entrar no mundo da Internet das Coisas

Essa iniciativa requer um grande número de desenvolvedores de software para programar dispositivos e construir experiências conectadas usando dados que fluem de sensores para sensores. Com os primeiros objetos conectados tendo preços cada vez menores, o investimento em casas inteligentes que antes era altíssimo se torna acessível, e consumidores estão buscando soluções que apoiem esse cenário. Por isso muitas empresas percebem a importância de investir em APIs: elas permitem que essa futura integração seja possível e fazem com que negócios deem os primeiros passos – a abram futuras possibilidades – no mundo da Internet das Coisas.

Esse novo mercado não planeja ser uma pequena fatia dos investimentos por muito tempo: de acordo com uma pesquisa da IDC (International Data Corporation) ele deve ultrapassar o patamar de US$ 7 trilhões em 2020. Assim, negócios estão buscando acompanhar essa tendência preparando suas plataformas para que consigam entender melhor as diferentes possibilidades e sair na frente nesse desenvolvimento. 

Um ambiente propício para a Internet das Coisas

Com o investimento inicial em APIs que permitem a conectividade de diversos objetos e sistemas, empresas conseguem criar um ambiente pronto para que a Internet das Coisas seja mais aproveitada e que diversos desafios atuais possam ser superados. O momento atual incentiva desenvolvedores a experimentar esse meio e entender melhor como podem tomar proveito das suas capacidades, para que assim seja possível criar soluções inteligentes e lucrativas a partir dessas plataformas. 

Esse ambiente deve crescer nos próximos anos para conseguir suportar os bilhões de objetos e aparelhos que devem estar conectados até o fim dessa década. Para isso, o uso de APIs facilita a criação de interfaces que permitam conexões entre uma rede com transferência intensa de dados e os diversos receptores que serão necessários. Algumas plataformas de API management (Mulesoft, WSO2, Redhat e outras),  já trabalham com opções em Cloud, a tendência é que o crescimento seja constante.

O futuro da Internet das Coisas

 Conclusão

A internet agora atingiu um patamar em que empreendedores conseguem utilizar diversas soluções inteligentes para seus negócios de forma simples: SaaS e cloud computing são cada vez mais comuns, dispositivos móveis estão mudando a forma como as pessoas interagem com serviços e marcas. As maneiras tradicionais de fazer parceria também então mudando, graças as APIs. As vantagens sempre estiveram com aqueles que conseguiram buscar soluções rápidas e eficientes, antecipando as necessidades do seu público, e com a Internet das Coisas não é diferente. 

Agora é o momento de investir e preparar o ambiente para as novas tecnologias que estão surgindo, criar APIs para as suas plataformas se manterem otimizadas, e deixar dispositivos prontos para que eles sejam pioneiros nessa etapa da revolução tecnológica.

Está começando a criar uma estratégia de API e já está pensando em Internet das Coisas? Fale conosco, podemos conversar sobre o seu projeto.

Gostou do post? Siga a nossa Company Page no LinkedIn e se cadastre no Blog para receber mais conteúdo desse tipo!

Leia mais


4 Dicas para aumentar o engajamento na sua API

api-DOCUMENTACAO

O desenvolvimento da tecnologia está possibilitando à integração de uma infinidade de sistemas que antes pareciam improváveis de se conectar, e isso só é possível graças ao uso de uma API bem projetada. Com esse avanço, as novidades deixam de ser só interessantes e passam a se tornar necessárias, pois é um novo modelo de negócio.

Desenvolvedores e usuários buscam soluções simples, que tenham boa usabilidade e que consigam ser facilmente integradas à diferentes plataformas. Isso serve para serviços online – como Hubspot, PagSeguro, Google Maps e até mesmo bancos, como Banco do Brasil e outros – e para sistemas complexos que são responsáveis por tarefas vitais de empresas. Por isso, é importante que o desenvolvimento das APIs seja otimizado para que a integração com novos sistemas aconteça sem grandes problemas. Nesse post reunimos 4 dicas para melhorar a criação da sua API e facilitar o crescimento do seu negócio. Acompanhe!

Introdução

Antes de tudo, desenhe e decida como sua API irá lidar com as chamadas, como você vai documentar as funcionalidades e defina as limitações e escopos de uso, pois esses são fatores cruciais a serem considerados no momento de criação. Tão importante quanto criar, é monitorar o que está acontecendo com sua API.  Se a documentação for inconsistente, estranha, difusa, corre-se o risco de confundir os usuários e até afetar a sua base ou mesmo potenciais usuários.

1. Crie uma boa documentação

Um fator importante no desenvolvimento de uma boa API é facilitar a experiência do usuário – que no caso também é um desenvolvedor – para que ele consiga aproveitar as vantagens oferecidas pela sua API. Por isso a documentação se torna essencial: é ela quem vai mostrar como trabalham as funções e respostas de chamadas da sua API. Nessa fase, pode-se criar até mesmo tutoriais simples para que o desenvolvedor comece a entender melhor o que ele pode atingir com aquilo que você está ofertando para ele. Crie uma documentação clara, veja como que outras empresas criando essa documentação, seja transparente e use a comunicação de forma simples. 

Tão importante quanto ter uma documentação clara é fazer testes, é extremamente importante testar se sua documentação está correta, pode parecer óbvio, mas nem sempre acontece. Outra dica é testar com outros programadores para garantir que essa documentação, de fato, oferece informações satisfatórias, incentiva o uso da API, e ajuda a crescer a plataforma.

2. Seja consistente

Mais que um aspecto importante para auxiliar o usuário da sua API, ser consistente no desenvolvimento é o que vai fazer com que programadores consigam entender as funcionalidades de forma intuitiva sempre que houverem mudanças ou melhorias. 

Assim como softwares, uma API precisa ser atualizada para garantir que ela continue segura e estável. Grandes empresas, como o Facebook e a Apple, têm o costume de atualizar suas APIs constantemente e às vezes causam uma boa dor de cabeça para desenvolvedores que tentam entender formas de manter suas plataformas funcionando da mesma maneira.

Por isso a consistência é importante: faça melhorias na sua API sempre buscando manter uma linguagem que siga o mesmo padrão e trabalhe intuitivamente, assim você evita que outros programadores tenham dificuldades em manter seu uso e abandonem a integração com a sua plataforma.

3. Crie mensagens de erro compreensíveis

Durante a integração de diferentes plataformas com o uso da sua API é provável que alguns erros ocorram. Esse tipo de problema é normal, e pode ser facilmente resolvido caso o desenvolvedor consiga identificar o problema e trabalhar para que ele seja corrigido. Mas para que isso seja possível, você precisa ajudá-los com mensagens de erro explicativas ou com códigos que tenham referências na sua documentação. 

Simplesmente criar uma resposta de “ERRO”, ou “ERRO FATAL”, durante os testes vai tomar um grande tempo dos programadores para que eles possam encontrar os problemas específicos analisando o código. Mapeie os principais erros, e torne isso visível na sua documentação.

4. Planeje a longo prazo

É possível reparar que algumas APIs são robustas e atendem muito bem as necessidades imediatas do serviço ou sistema, mas que não existe um planejamento de longo prazo. Planeje uma evolução, projetar algo rigoroso logo no início, pode inibir o crescimento potencial daquela API, mas ter um roadmap pode lhe render uma vida útil bem maior.

Ao desenvolver sua API, é essencial que você analise as possibilidades atuais da sua plataforma e entenda as diferentes formas de integração possíveis no presente, para que assim seja possível atender essas demandas de forma rápida e eficiente. Mas ainda mais importante é pensar no futuro: quais são os planos de melhorias na sua plataforma? Você planeja oferecer novas funcionalidades? O que você vai precisar oferecer no futuro? 

Sabendo disso é possível desenvolver a sua API de maneira otimizada para que futuramente seja mais fácil incorporar novos elementos, e facilitar o trabalho dos desenvolvedores quando as novas funcionalidades forem disponibilizadas.

Conclusão

Para que você consiga uma grande taxa de adoção inicial da sua API, é necessário fazer com que ela seja amigável tanto em um primeiro momento como futuramente. Assim, faça de tudo para que desenvolvedores tenham facilidade em entender sua API e consigam criar suas soluções sem grandes problemas. Seguindo esses passos e oferecendo suporte constante de qualidade, sua API será mais adotada e amada, os desenvolvedores conseguirão criar soluções novas de forma simples, e sua plataforma será cada vez mais utilizada. Está com alguma iniciativa para desenvolver APIs dentro da sua empresa? Entre em contato conosco, podemos te ajudar com esse processo!

Este conteúdo foi interessante para você? Então vai lá, se cadastre na nossa Newsletter e receba o nosso conteúdo direto no seu e-mail, sem spam, é claro!

Leia mais


Estratégia de monetização das APIs

Monetizando sua API

API

Por trás de alguns programas e sistemas que utilizamos, há um conjunto de rotinas e padrões que permite sua conexão com outros sistemas sem a intervenção direta do usuário, isso acontece via API. Elas são desenvolvidas por empresas que desejam que seus softwares possam ser associados a outros tipos de serviços. E é esse o caminho através do qual muitas organizações estão gerando dinheiro e ampliando seu poder de mercado. Diversas empresas estão fazendo isso: UOL, Google, Philips, Samsung, BMW, Mailchimp e outras de diferentes tamanhos e segmentos.

Relação entre API e aumento de faturamento

Imagine uma empresa que trabalhe com venda de passagem área por meio de pedidos online. A área de Marketing vai pensar na hora em utilizar mídia paga, trabalhar com SEO e mídias sociais e isso é valioso, mas é possível ser ainda mais efetivo. Se essa mesma empresa conseguir integrar seu sistema de pedidos, buscando informação, diretamente dos sites de empresas aérea, consegue imaginar a quantidade de novos clientes que podem ser gerados por meio dessa iniciativa? É isso o que a Decolar.com faz, as APIs já foram percebidas pelo mercado como poderosas fontes de receitas e, caso o seu negócio ainda não tenha prestado atenção nessa oportunidade, é melhor repensar suas estratégias de geração de leads. É por isso que as áreas de Marketing e TI precisam conversar mais. Se a área de TI ofertar esse tipo de solução para o departamento de Marketing, é bem possível que saiam como um modelo de negócio.

Podemos dar também um exemplo prático e real do quanto uma API pode gerar lucro à empresa e crescimento profissional aos gestores de visão. O Netflix atuava em uma única dimensão (oferecimento de assinaturas através de um site tradicional). Muito além de desenvolver um site responsivo (que proporcionasse uma boa experiência de usuários de smartphones e tablets), o Netflix foi mais fundo e integrou seu programa a outras tecnologias, possibilitando aos seus clientes acessarem os serviços através de uma Smart TV, por exemplo. Percebeu que não há limites para uso dessa tecnologia?

APIs como estratégia de monetização

Receita Direta

Esse formato é um dos mais conhecidos e mais utilizados também para cobrar pelo acesso a uma API. É bastante utilizado por empresas que disponibilizam seus serviços via Saas (Software as a Service). Você vai criar um limite claro que dizendo que tantas chamadas na sua API vão custar um determinado valor. É uma relação direta entre volume e valor a ser pago, podendo, esse valor, ser fixo ou não. Para incentivar o uso das API, algumas empresas deixam por um valor abaixo ou até de graça por um tempos, para que o desenvolvedor possa usar a atestar que de fato ele precisa ter acesso aquelas APIs.

Clique aqui e conheça a forma de cobrança da API do paypal.

Pacotes ou planos

A diferença está na forma de contratação, é um plano onde se cria faixas de chamadas, algo parecido com o que as telefonias fazem com o consumidor. O desenvolvedor poderá usar da forma mais conveniente até o final do plano. Clique aqui para conhecer  a forma de cobrança da API do Bing Search.

Clique aqui para conhecer a forma de cobrança da API do Google Maps.

Programa de afiliados e marketplace

Amazon, Buscapé, Mercado Livre, Cnova: a existência dos marketplaces está intimamente ligada à força das APIs. É através delas que um site de e-commerce pode se integrar à plataforma base, onde será feita a venda. O marketplace oferece um oceano de produtos, de diversas fontes e sem modificar a experiência de usuário. Isso significa aumento nas receitas de ambos os parceiros!

Exemplo: APIs como estratégia de monetização

Sistemas de pagamento online

Quem tem uma loja online provavelmente sabe bem o que é uma API, já que depende dela para que seus consumidores concluam o pagamento de suas compras com segurança e sem redirecionamentos (com checkout transparente). Por meio de carteiras digitais, o cliente, sem sair do site da loja, digita apenas login e senha do PayPal e isso basta para efetuar a compra. Não há necessidade de informar dados de cartão de crédito, já que estes já estão armazenados nos servidores de altíssima segurança desses intermediários de pagamento. PagSeguro e Moip também fazem um ótimo trabalho com APIs, integrando seus serviços a outros sites por meio da disponibilização de seus códigos.

Vantagens resumidas da exposição de APIs

  • Obtenção de receita por meio da disseminação de seus serviços diretamente em outras plataformas, sites e programas;
  • Diversificação de seus canais de distribuição (API permite que você apareça em outros locais, criando novas fontes de divulgação de seus serviços);
  • Viabilização de novas parcerias;
  • Publicidade gratuito (a título de exemplo, Facebook, Google e Twitter permitem o acesso gratuito à sua API);
  • Agilidade na cadastro (Por meio da integração entre aplicações, é possível obter dados dos usuários sem a necessidade de preenchimento de formulários);
  • Fortalecimento da gestão interna (a maioria das APIs fornece relatórios personalizados, além de poderosas ferramentas de gerenciamento, possibilitando controlar as variações de seu negócio com maior solidez).

Conclusão

lista de verificação para monetizar sua API

Bom, falamos um pouco sobre como monetizar uma API, certo? Criamos uma lista para ajudar a entender um pouco mais sobre a sua estratégia atual de API. Essas perguntas vão te ajudar a ver se, hoje, você conseguiria monetizar suas APIs de forma rápida.

  1. Você está apto a lucrar com a cobrança de APIs usando alguns dos modelos citados?
  2. A API é enxergada como uma oportunidade de upsell para o negócio?
  3. Existem maneiras de gerar receitas indiretas através de sua API?
  4. Existem oportunidades para criar parcerias estratégicas via API?
  5. Uma API pode melhorar a eficiência operacional e reduzir o tempo de atividades?
Mantenha duas questão claras quando for adotar uma estratégia de monetização de uma API:
  • Mapeie e mensure as fontes de receitas relacionadas com sua a API.
  • Se possível, compare a sua receita com a de outros clientes que não usam API.

Como qualquer iniciativa de TI, certifique-se de que sua estratégia de monetização está diretamente alinhada com seus objetivos de negócio. Se não estiver alinhada com seus objetivos, não perca seu tempo, foque em outras ações.

Agora, se sua empresa estiver buscando informações sobre como criar uma estratégia de API, entre em contato conosco, com certeza podemos te ajudar nesse processo. Que tal agora continuar estudando sobre o assunto? Descubra na sequência como aumentar suas vendas usando APIs! E caso tenha alguma dúvida, aproveite para nos deixar uma mensagem aqui no blog!

Leia mais


API interna e privada, conheça 5 benefícios!

api-banner API é o assunto do momento e muitas empresas estão se beneficiando, é verdade, mas uma parte apresenta um certo desconforto para disponibilizar os serviços e dados via APIs para parceiros externos ou para desenvolvedores de terceiros. Uma maneira de começar a avaliar os benefícios de uma estratégia de negócios via API é começar a usar APIs internamente. Empresas como Google, Facebook e Twitter, Netflix, Decolar, cujas APIs foram grandes responsáveis por seu crescimento e sucesso, estão ganhado cada vez mais espaço no mundo corporativo (temos que lembrar que essas empresas possuem API Privadas e Pública). De olho nas vantagens da utilização de APIs, como customização, otimização e integração – visando a alavancagem de negócios – as empresas começaram a investir na utilização de  APIs internas ou API Privadas. Esse tipo de API permite a integração entre os sistemas legados da organização, sem a necessidade de uma exposição pública dos seus serviços ou dados Neste artigo, vamos explorar os 5 benefícios de ter uma API interna ou privada:

1 – Colaboração e Comunicação

APIs privadas podem oferecer benefícios substanciais em termos de eficiência e produtividade. Um estudo realizado pela McKinsey Global estima que as empresas podem aumentar sua produtividade de 20% a 25%, melhorando a colaboração interna, uma estratégia que é extremamente possível com o uso de APIs. Usar APIs em toda a organização significa uma maior conscientização compartilhada de modelos de dados, processos e recursos da empresa. Através do gerenciamento de APIs, também pode-se ter uma maior clareza na leitura de dados, permitindo que se extraia dados consistentes para ser usado ao analisar as operações de negócios, otimização de processos e comportamento dos seus profissionais.

2 – Melhoria das operações internas

As APIs permitem que os dados sejam distribuídos e compartilhados entre múltiplos canais e sistemas dentro da sua organização, gerando uma melhoria significativa nas operações internas ao garantir agilidade e disponibilizar a informação em um ambiente prático e funcional, fornecendo uma visão geral do negócio. Como as empresas estão adotando as APIs privadas para apoiar processos internos, por vezes descobrem oportunidades para reestruturar e modernizar seus negócios. O conceito chave por trás dessa modernização é que, ao quebrar as funcionalidades de negócio e serviços em blocos, é possível criar novas cadeias de valor de negócio através da composição de seus serviços, dados e funcionalidades em novas configurações – reinventando seus negócios e processos. Você vai montar a arquitetura de acordo com o seu objetivo, momento de mercado, ou comportamento dos grupos de trabalho.

3 – Racionalização da infraestrutura

A organização pode ser fortemente impactada e beneficiada  pela utilização de APIs, vai depender do objetivo de negócio. Em se tratando da parte interna da TI, a infraestrutura antes inchada e lenta, devido a utilização de soluções monolíticas e da manutenção de grandes equipes de implementação e customização, agora podem dar lugar a uma infraestrutura enxuta, com equipes ágeis e altamente escalável. Com as soluções de nuvens privadas, é possível alocar recursos de infraestrutura de acordo com a demanda e com o mínimo de esforço e interação. E as APIs estarão presentes nessa movimentação.

4 – Flexibilidade

Pense nas APIs como um LEGO, aquele brinquedo com blocos de  encaixar que é possível que você já tenha brincado. Semelhante ao brinquedo, as APIs permitem que você adicione ou remova funcionalidades de um sistema de forma bem flexível, como em um bloco de encaixar. Essa flexibilidade permite que com novos sistemas ou serviços sejam adicionados ou substituam soluções antigas em tempo hábil. É possível, por exemplo, usar um serviço que acessa um sistema financeiro para alimentar uma solução fiscal; cruzar o relatório de vendas buscando informações do setor de Marketing e Trade da empresa; etc.

5 – Visão Analítica

Conforme o mercado muda, os requisitos do negócio também mudam. As APIs ajudam a sustentar as mudanças nos requisitos do negócio ao suportar e facilitar a migração de dados, tornando-os disponíveis para o consumo de novos aplicativos e serviços quase que instantaneamente. Essa facilidade em expor dados permite que a empresa  identifique onde há problemas em uma operação de negócio e mesmo uma oportunidade. Uma outra vantagem na adoção de API é a visão, de forma clara através de gráficos – que podem expor e tratar dados em tempo real – (Big Data),  expondo o que está acontecendo em nossos sistemas conectados. É mais fácil para gerenciar os componentes individuais. Podemos monitorar os tempos de resposta, uptimes, e a carga nos servidores e compartilhar as análises que são importantes para o nível de negócio e estratégias de reposicionamento de mercado.

Conclusão

Como você percebeu, são inúmeros os benefícios decorrentes da utilizada de uma API interna e privada. Tendo em conta os benefícios citados anteriormente, APIs privadas podem muito bem ser a melhor maneira para algumas empresas iniciarem suas estratégias de API. Ferramenta de gerenciamento de API e especialistas podem ajudar a identificar o melhor caminho para integração e influenciar na concepção de uma estratégia que incentiva o comprometimento de toda a operação de negócio. Diversas empresas já adotam esse conceito, converse com um especialista para entender a melhor forma de navegar e ganhar com a implementação de uma estratégia de API para o seu negócio. E você? Pensou em algum benefício que não foi mencionado aqui? Gostaríamos de saber sua opinião. Deixe seu comentário no post e entre em contato conosco!

Leia mais


[Parte 1] A Economia das APIs já está aqui! Você está pronto?

api_inter_pro Vamos falar sobre a mágica que acontece no Mundo das APIs, em duas partes. Ao terminar, você verá que pensar em uma API é mais comum do que que se imagina. E pensar no mundo digital sem pensar em API pode não ser uma boa solução. Empresas que se desenvolveram originalmente no mundo digital usufruem desde cedo das vantagens que a tecnologia oferece para o crescimento do negócio, mas esse não é um privilégio só delas. A Economia das APIs (O que é API?) marca um universo de oportunidades para centenas de organizações nos mais variados segmentos de atuação. Redes sociais em alta, mudanças de hábitos dos usuários e indivíduos cada vez mais conectados através de dispositivos móveis compõem um cenário com o qual as empresas precisam aprender a lidar. Nesse sentido, as APIs podem ser verdadeiros motores de crescimento, fazendo com que a empresa desenvolva novos canais, amplie o seu alcance e difunda mais a sua marca. A pergunta é: A sua empresa está pronta para isso?

Um pouco de História

Uma API é uma ponte de comunicação entre dois ou mais sistemas, em resumo. Essa necessidade por comunicação é nossa, do ser humano, e aos poucos passamos isso para as máquinas. As máquinas vem sendo aprimoradas desde quando foram inventadas, elas eram repetitivas e mecânicas. Com o passar do tempo receberam cada vez mais funções, mas não possuiam “Inteligência” por trás dos seus sistemas, não como vemos hoje. O inglês Alan Turing, é o grande responsável por desenvolver uma máquina capaz de fazer o trabalho de inteligência que antes só seria capaz de ser feito por humanos. Sim, ele foi responsável por criar o primeiro computador. Para aprender um pouco mais sobre esse gênio e entender o proceso de criação do computador, indicamos o filme “Jogo da Imitação”, clique e veja trailer:

APIs por toda parte

O uso de APIs (entenda o que é uma API) é mais comum do que se imagina e elas estão presentes nas ações mais corriqueiras dos usuários. Não são evidentes porque não atuam de uma forma visível quando você visita um site ou opera um software, mas são suas funções que permitem a interação entre os aplicativos, disponibilizando o acesso a algum recurso ou simplesmente viabilizando informações. Quando se ingressa num site de um hotel, por exemplo, e lá se vê um mapa do Google com a localização do lugar, é uma API que está por trás disso. Quando se deseja calcular o valor do frete de um produto numa loja online, há uma API dos Correios ali também. Importante deixar que existem APIs tanto para o mundo B2B como para o mundo B2C. Embora grande parte dos exemplos envolva nomes de grandes empresas, o uso de APIs traz vantagens competitivas reais e diferenciadas que estão disponíveis a qualquer organização que esteja preparada para pôr isso em prática.

Potencial para gerar valor

Sabemos que os dados são abundantes hoje em dia, mas é a combinação deles que tem o poder surpreendente de gerar valor para o negócio. Criar uma API significa disponibilizar dados para que outros desenvolvedores elaborem produtos associados ao serviço da empresa. Quando isso é pensado no atual contexto, em que as pessoas consomem avidamente os mais diversos aplicativos — porque já perceberam que esses programas facilitam a vida —, fica fácil visualizar o potencial de alcance que a marca pode ter. Os aplicativos comunicam-se uns com os outros de maneira fluida, sem que o usuário se dê conta ou, em alguns casos, possa intervir. A possibilidade de conectividade entre diversos sistemas ou aplicativos por meio de APIs é o que marca a inteligência dessa interação entre interfaces. E os usuários querem interatividade, todos queremos! Alguns exemplos de APIs que utilizamos todos os dias:
  • APIs que fazem parte das funcionalidades de um website, tipo o Decolar;
  • APIs que são utilizadas em softwares online (SaaS);
  • APIs suportam as aplicações móveis (Apps Mobile);
  • APIs e Internet das Coisas tem relação direta;

Requisito para se manter no mercado

Por serem geridos com o apoio em ferramentas de software, é natural que os novos modelos de negócio busquem cada vez mais alternativas dinâmicas e inteligentes, também apoiadas em tecnologia, para fazer a empresa prosperar. Aos poucos, o que era um diferencial vai se transformando em um requisito para se manter no mercado, daí a importância de perceber como a Economia de APIs vem ganhando espaço e que não se pode simplesmente ignorar essas transformações. Desenvolver uma API vai além de apenas marcar presença na esfera virtual: trata-se de uma estratégia para alcançar objetivos estabelecidos pela empresa e, assim como ocorre antes de pensar qualquer estratégia que preze pela disciplina, é preciso considerar um diagnóstico realista do mercado e definir com cuidado quais objetivos a empresa pretende alcançar. Gerenciar a API é tão importante quanto desenvolvê-la, afinal, abandonar a iniciativa não vai contribuir para a conquista de bons resultados. O gerenciamento é uma maneira de descobrir para onde a empresa deve ou não direcionar esforços, articulando e alinhando melhor a estratégia de acordo com as necessidades do negócio.

Conclusão

Com o aumento no uso de dispositivos móveis e de aplicativos, a Economia das APIs anda bastante desenvolvida e ainda existe muita coisa para ser feita nessa área! É claro que o segmento de atuação e modelo de negócio da empresa vão influenciar a estratégia que a empresa pode desenvolver, mas preparar-se o quanto antes para lidar com essas novas perspectivas é fundamental. Fique atento, no próximo post desse tema, vamos falar sobre como funciona uma API de forma mais técnica. E então? Ainda acha que Economia das APIs é um assunto do futuro ou exclusivo de grandes empresas? Compartilhe suas dúvidas conosco, mande o seu comentário e entre em contato conosco!

Leia mais


O que é API? Entenda de uma maneira simples

191-931-1377004443

Em um mundo cada vez mais digital e conectado, todo mundo já usou, mesmo sem saber uma API. A sigla vem do inglês Application Programming Interface, uma API permite que aconteça troca de informações entre dois ou mais sistemas é como se fosse uma ponte ligando esses sistemas.

Uma API é basicamente uma programação que contém um conjunto de instruções que controlam o funcionamento de um computador, site ou aplicação transmitindo a outro dispositivo ou site essa informação de forma automática. Através de uma API podem ser construídos  a comunicação entre sites, ferramentas e widgets como os aplicativos de celular.

A API é o que roda “por trás” dos programas, fazendo com que aplicativos conversem uns com os outros sem que seja necessária uma intervenção humana, automatizando os processos. Enquanto o usuário tem acesso apenas à interface — o site, o app ou o programa —, nos bastidores muitos aplicativos estão trabalhando em conjunto utilizando APIs.

Exemplos do dia a dia

O site de uma empresa pode mostrar sua localização com um mapa no Google Maps. Isso é possível porque o Google Maps forneceu algumas partes de seu código através de uma API, fazendo com que o desenvolvedor do site pudesse utilizar o código original, adaptando-o da maneira mais conveniente.

B2C

No mundo B2C existem ainda outros exemplos, alguns sites em vez de solicitar o preenchimento de um enorme formulário de cadastro, permite que o login ocorra através de alguma rede social, como Facebook, Twitter ou Google+. Essas redes já possuem dados básicos e comuns a qualquer cadastro, como nome, e-mail, sexo, telefone, e através das APIs é possível aproveitar esses dados, evitando que o cliente perca tempo preenchendo as mesmas coisas e desista de fazer cadastro.

B2B

No mundo B2B, esse conceito também é normal. Se você participa de um programa de fidelidade e usa o aplicativo do seu banco para levar os seus pontos do banco para o site de uma empresa aérea, você fez isso usando uma API; empresas como Gol Linhas Aéreas, Multiplus, Banco do Brasil usam bastante esse conceito, uma vez que, existe a troca de informações entre essas empresas para identificar o que o cliente quer fazer com os pontos que ele possui. Se ao realizar uma compra num site, você pontua no site da empresa em que comprou e em outros programa de fidadelidade ao mesmo tempo, isso também é feito via API.

E não são apenas as multinacionais que oferecem APIs ou as utilizam em seus sistemas. No Brasil, os Correios são um exemplo de empresa que utiliza essa tecnologia para oferecer um melhor serviço. São APIs que permitem que, ao preencher o CEP, certos formulários de lojas puxem automaticamente o endereço, evitando conflitos e problemas na entrega, consulte a loja mais próxima, prazo de entrega e por ai vai. A Decolar.com permite que qualquer site integre seu cadastro de mais de 150 mil hotéis e 8 mil destinos de voos. Isso dá visibilidade à empresa e também facilita a vida dos desenvolvedores (e usuários) dos sites.

Conclusão

Com uma API, criadores de softwares e sites podem desenvolver uma série de produtos diretamente ligados ao conteúdo de uma empresa de forma bem mais rápida. Mesmo as empresas que não são de tecnologia, se beneficiam por melhorar suas funcionalidades e mostrar capacidade de inovação.

A vantagem financeira para quem usa e para quem oferece aos desenvolvedores o acesso a suas APIs é significativa. Quando uma empresa torna algumas partes do código de seus sites ou sistemas disponíveis para que outras ferramentas possam ser desenvolvidas a partir da troca da informação, ela geralmente se destaca, pois o objetivo da API é facilitar  à troca de informação e isso por diversas vezes ajuda alguma área de negócio da empresa.

Uma estratégia de API bem definida tem enorme potencial de aumentar o alcance dos dados e soluções de qualquer empresa, facilitando, assim, a troca de informação seja com o consumidor final ou com alguma área da empresa.

E você, vai desenvolver alguma API e quer ajuda de um especialista? Já ajudamos uma empresa no ramo de Petróleo e Gás e uma Cervejaria no desenvolvimento de APIs. Entre em contato conosco da Vertigo Tecnologia

E então, deu para entender melhor o que é uma API, ficou alguma dúvida? Deixe um comentário aqui no post e conte para nós!

Leia mais


Aumente suas vendas usando API!

stateOFtheWorld_9_B - Copia

API (clique aqui para entender o que é uma API) é utilizada para facilitar e agilizar a comunicação entre sistemas e dispositivos. Nos últimos anos, ela se tornou fundamental para quem pretende criar sistemas mais ricos, escaláveis e dinâmicos. Com a ajuda da computação em nuvem, dos aplicativos móveis, e outras revoluções dentro da TI, essas interfaces reinventaram a maneira como parceiros comerciais trocam informações entre si.

Apesar de normalmente serem associadas com o mercado B2C, as APIs também integram empresas e diversos sistemas corporativos, hoje. Ao oferecer uma interface que dê a desenvolvedores e parceiros a oportunidade de acessar as suas informações, uma organização pode aumentar a sua presença no mercado, número de clientes e até seu lucro.

Aumentando o número de parceiros por meio de APIs

Muitas pessoas acreditam que a única maneira de conquistar novos clientes é por meio de campanhas de marketing. Entretanto, as APIs estão ganhando destaque na lista de estratégias para ganhar novos parceiros. Empresas como Hotel Urbano, Ipiranga, NovaPontoCom e Bovespa, por exemplo, passaram a ter um fluxo maior de usuários ao criarem um conjunto de protocolos e rotinas onde desenvolvedores podem obter e postar informações. Já o Google Maps permite que pessoas utilizem os seus dados para construírem mapas personalizados. Isso permitiu a criação de ferramentas dinâmicas que vão de mapas de violência a plugins com o endereço das lojas de uma rede de supermercados. Ao dar a liberdade para que desenvolvedores explorassem os seus dados, novas ferramentas foram utilizadas e o tráfego do Google Maps foi expandido, mantendo o serviço à frente de seus concorrentes.

 Usando as APIs para aumentar o engajamento de consumidores e desenvolvedores

Um dos principais meios de conseguir ter lucros consistentes é aumentando o engajamento dos clientes. Estratégias para atingir esse objetivo são inúmeras: há quem opte por investir em redes sociais, fazer publicidade inovadora e existem os casos de empresas que optam por promoverem APIs.

DROPBOX

Um exemplo de sucesso é o Dropbox corporativo . A aplicação de armazenamento de documentos permite que desenvolvedores independentes criem APPS que, por se integrarem com a plataforma, geram um maior engajamento com ela. As ferramentas são promovidas pela própria empresa, algo que a ajuda a se manter líder no competitivo mercado digital.

Para incentivar desenvolvedores a adotar as suas APIs, um bom método de atração são os programas de indicação e associados. Compartilhar benefícios com os desenvolvedores que acessam os seus sistemas faz com que eles sintam-se motivados a implementá-la em mais serviços. Em alguns casos, pode ser útil adotar uma estratégia semelhante à do Dropbox, promovendo as melhores aplicações que utilizam dados da sua plataforma. Isso não apenas serve de vitrine para as possibilidades de negócios que a sua interface promove, mas também pode ser uma oportunidade de lucrar por meio de um programa de traffic referral (recomendação de um site a outro).

 Distribuição de conteúdo em busca de mais receitas

Booking

O sucesso de muitos modelos de negócios depende do número de pessoas que visualizam e interagem com uma plataforma. Uma das melhores maneiras de se fazer isso é por meio de uma API. O site de busca de hotéis Booking, por exemplo, segue essa estratégia. Ele permite que pequenos websites possam utilizar os dados de sua plataforma para buscarem hotéis disponíveis em um modelo de comissões por venda. Já grandes sites de compra, como o Submarino, permitem que pequenos parceiros possam vender produtos em sua plataforma. A verificação de estoques e divulgação de produtos, naturalmente, também é feita por meio de APIs.

Conclusão

As maneiras como uma API podem aumentar a receita de uma empresa são inúmeras. Uma companhia com uma boa plataforma consegue expandir os seus negócios, aumentar as suas receitas e ter clientes mais engajados com a sua plataforma. (clique aqui para ver exemplos de empresas que usam APIs)

Se você pretende criar a sua própria API, é bom contar com a ajuda de um especialista.Ele poderá te orientar na escolha dos melhores modelos de gestão e arrecadação de renda. Existem diversas ferramentas de código aberto (MulesoftWSO2, Red Hat) e proprietário (Oracle, IBM, SAP, Tibco, e outras) que auxiliam nessa tarefa. Ficou com alguma dúvida? Fale conosco, escreva aqui o que você achou sobre o artigo!  

Leia mais


Canais

Assine a nossa newsletter:

   


Av. Rio Branco, 151, sala 1002 – Centro
Rio de Janeiro, RJ - Brasil
CEP 20040-911
+55 (21) 2232-0123