6 etapas para a Transformação Digital em serviços financeiros

Transformação Digital

Para as organizações do setor financeiro, principalmente as que ainda possuem aquele mindset mais tradicional, os desafios são muitos e exigem uma mudança cultural. Agora os consumidores têm tantas opções que, por mais que as instituições sejam sólidas, elas precisarão se superar a cada dia para permanecerem relevantes. E, nesse cenário, sai na frente quem adota a Transformação Digital!

Um exemplo dessa mudança de paradigma é o – muito comentado – Open Banking! Segundo o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, a regulamentação começa em novembro de 2020 com o nome de Open Finance, uma vez que o sistema vai englobar todos os produtos financeiros.

O regimento do Open Banking cria um ambiente propício para o surgimento de novas soluções de serviços inclusivos, competitivos, seguros e customizados. É um passo importante no processo de digitalização do sistema, promovendo maior e melhor acesso de público e empresas aos serviços e produtos financeiros.

Com o ambiente regulatório em constante mudança, existe a necessidade de adaptação à formas de pagamento mais modernas resultando numa competição acirrada. Ou seja, as empresas de serviços financeiros precisam modernizar sua tecnologia e ajustar seus processos para fornecer a experiência que seus clientes estão demandando, desenvolvendo soluções leves e flexíveis, com recursos de integração modular que permitem rápida integração.

Cada vez mais Fintechs, por exemplo, têm surgido explorando serviços digitais e se mostrando como melhores alternativas aos clientes: a Nubank é uma dessas empresas; o Banco Original nasceu na era digital e disponibiliza todos os seus produtos sem presença física; o Banco Next é uma iniciativa do Bradesco em busca de manter clientes e conquistar consumidores digitais.

Porém, a tecnologia por si só não é suficiente. É claro que as empresas estão em estágios diferentes, mas, em geral, a falta de uma liderança que pratica uma TI moderna é o principal problema.

Neste artigo vamos elencar seis etapas que as instituições financeiras precisam considerar para trazer a Transformação Digital ao seu cotidiano. Boa leitura!

 

1- Construir vantagem competitiva

As instituições financeiras precisam ter inovação centrada no cliente para permanecerem competitivas. A arquitetura de suas soluções deve:

  • Possuir escalabilidade dinâmica;
  • Resistência a falhas;
  • Rápida adaptação;
  • Conexão com ampla variedade de dispositivos, dados e sistemas.

Sistemas de TI tradicional oferecem pouco valor, são complexos e caros de operar e manter. Sistemas desatualizados forçam a equipe a gastar uma quantidade excessiva de tempo em manutenção e operações básicas. Tempo esse que poderia ser gasto no desenvolvimento de formas inovadoras para agregar valor à empresa.

Uma constatação interessante é que soluções open source vêm, há muito tempo, se tornando pilares de inovação em muitas empresas, mas suas vantagens são particularmente aplicáveis ​​aos serviços financeiros.

 

2- Aplique entregas contínuas em nuvem

Para iniciar a jornada de Transformação Digital em instituições financeiras, adotar o uso de tecnologias e modelo cloud native é um dos principais pilares para ter sucesso nesse processo. Contêineres, infraestrutura como código, automação, provisionamento, orquestradores e microsserviços são algumas das ferramentas para uma TI ágil, responsiva, observável e resiliente.

Há direcionamento para a implantação de uma cultura de responsabilidade compartilhada pelas entregas, maior visibilidade do comportamento dos sistemas, modelos de melhoria contínua e a busca incessante por automação. Todas essas ações buscam diminuir a complexidade, isolando aplicativos da infraestrutura subjacente e ajudando as equipes de desenvolvimento a trabalhar com configuração mínima e tempo de gerenciamento reduzido.

Esteiras de construção, testes e entrega de releases de software são apenas parte da solução. Além disso, a transformação cloud native reduz consideravelmente a quantidade de ICs mantidos por processos formais tradicionais.

 

3- Use APIs como diferencial competitivo

O uso de API é muito mais do que marcar um check na lista de tarefas para seu processo de desenvolvimento digital. Uma estratégia de API moderna traz benefícios de tecnologias de dispositivos móveis, sociais e em nuvem. Ou seja, fomenta a criação de novos negócios.

O gerenciamento de APIs eficaz é peça fundamental no desenvolvimento do Open Banking, permitindo a integração de serviços financeiros às diferentes jornadas digitais dos clientes e reduzindo a diferença de informações entre os prestadores de serviços, favorecendo o surgimento de novos modelos de negócios e de novas formas de relacionamento entre instituições e seus clientes e parceiros.

O Open Banking é um modelo de negócio que funciona de uma forma diferente: a empresa disponibiliza interfaces baseadas em APIs para que outras organizações possam criar aplicativos que agreguem valor aos serviços do negócio. Isto pode ser particularmente desafiador para instituições financeiras que têm uma longa história de fusões e aquisições ou são sobrecarregadas por sistemas legados.

 

4- Utilize padrões abertos de gestão de identidade

Os clientes precisam ter acesso a uma gama de soluções digitais fornecidas por vários provedores dentro de canais digitais. Este problema pode ser resolvido estabelecendo padrões abertos de identidade como o OpenID de forma que as APIs possam ser acessadas. Os clientes podem então autenticar sua entrada uma única vez, por meio de um provedor de identidade, sem ter que repetir o processo em cada entrada.

Padrões abertos de identidade são parte de uma ampla estrutura open source, que fornece para as empresas a liberdade de usar um software de sua própria escolha. Além disso, este recurso permite que organizações de serviços financeiros ofereçam seus produtos com segurança em novos canais e parceiros.

Também é necessário pensar na adoção de DevSecOps, visando segurança da aplicação e na infraestrutura de segurança envolvidos no projeto desde o seu início, dentro de uma abordagem de desenvolvimento ágil.

A cultura DevSecOps coloca a prática de segurança não só ao final do ciclo de vida do desenvolvimento do software, mas em todos os estágios do processo para assim garantir um fluxo seguro e tranquilo, de ponta a ponta.

 

5- Adote DevOps para transformar a sua TI

A cultura DevOps é uma combinação de desenvolvimento e operação que cria proximidade entre estes dois sistemas de TI para facilitar colaboração e comunicação entre equipes. Sendo assim, a adoção de uma abordagem DevOps é uma etapa crucial no processo de Transformação Digital.

A implementação pode ser um desafio, mas levar DevOps para sua companhia financeira significa:

  • Agilidade de automação;
  • Modernização da cultura organizacional;
  • Encorajamento para experimentação;
  • Transparência na tomada de decisões;
  • Reconhecimento para maior confiança e cooperação entre equipes
  • Melhora na qualidade e performance das aplicações.

 

6- Use microsserviços para modernizar aplicações existentes e desenvolver novos projetos

Sabemos que é difícil de desapegar daqueles  sistemas monolíticos, afinal tem funcionado até agora, mas a que preço? Estruturas monolíticas não suportam aplicações cloud native, possuem experiências lentas e inconsistentes que não conseguem abranger vários dispositivos e podem manifestar inatividade geral prolongada por conta de falha em um ponto específico do aplicativo. Ou seja, este tipo de arquitetura entrega fluxo de trabalho ineficiente.

Os microsserviços reduzem o tempo necessário para a construção, manutenção e atualização dos sistemas. Portanto, isso possibilita a qualquer equipe de desenvolvimento mais oportunidades para personalizar experiências exclusivas para cada usuário final. Outras vantagens que valem a menção:

  • Implantação mais rápida com prazo de entrega reduzido;
  • Recuperação mais rápida de implantações com falha;
  • Menor risco de inatividade e interrupções devido a falhas nas implantações.

 

Conclusão

Na área financeira, a Transformação Digital tem como objetivo a coleta e análise de informações que auxiliarão na tomada de decisão, elaboração de estratégias e escolha de investimentos que tragam bons retornos, dentre outras coisas.

Por isso, é essencial que as empresas financeiras busquem evoluir suas tecnologias para não perderem espaço no mercado, atenderem às novas demandas dos clientes e atingirem seus objetivos, incluindo lucratividade e crescimento sustentável. Para isso, você pode:

  • Conduzir e executar projetos com práticas ágeis;
  • Adotar processos e ferramentas que facilitem e incentivem a identificação de projetos e colaboração dos funcionários para a inovação;
  • Impulsionar toda a empresa para o crescimento digital.

Afinal, uma Transformação Digital de verdade requer adoção de novas tecnologias e de novos métodos de trabalho, assim como um compromisso com a experimentação e a inovação. 

Quando o assunto é serviço financeiro, diversas são as ferramentas que transformam a TI corporativa em um acelerador de mudanças. E para saber mais sobre essas soluções, fale com os nossos especialistas.

 

Avalie o nível de adoção e maturidade DevOps na sua empresa e entenda os pontos fortes, fracos, lacunas e oportunidades de aprimoramento.

 

Preencha o formulário para conversar com os nossos especialistas e saber como esses métodos podem ajudar a sua empresa chegar ao sucesso.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *