Plataforma de experiência digital: quando contratar?

Quando pensamos em uma plataforma de experiência digital, geralmente associamos a este termo dois conceitos fundamentais: experiência do cliente e transformação digital.

Isto acontece por um motivo simples: existe uma mudança mercadológica em curso, já há alguns anos. Atualmente, o foco deixou de ser a pura oferta de um produto para se transformar em algo mais sofisticado, onde criar uma boa experiência do cliente tornou-se o alvo das empresas.

Com a dinâmica dos avanços tecnológicos, as organizações vislumbraram a possibilidade de se conectar com sua audiência por diversos canais online. Isto acrescenta agilidade, mas também demanda organização e transformação dos padrões da empresa.

Neste conteúdo, vamos apresentar a conexão entre experiência do cliente e a plataforma de experiência digital. Com isto, pretendemos dissipar as nuvens de dúvidas que costumam surgir quando os tomadores de decisão das organizações refletem sobre qual é o melhor momento para migrar para uma plataforma de experiência digital.

Plataforma de experiência digital

O que é uma DXP?

A primeira coisa a ser feita, antes de tomar a decisão de migrar para uma plataforma de experiência digital (DXP), é entender qual o conceito por trás deste tipo de tecnologia.

A árvore genealógica de uma DXP começa pelo CMS – Content Management System, perpassa por WEM – Web Experience Management e aterrissa no OMNICHANNEL. Propositadamente, não vamos nos demorar explicando os conceitos anteriores, porém cabe fazer um parêntese e explicar que estas ferramentas acompanham tanto a evolução dos recursos tecnológicos disponíveis, quanto às demandas que as tornaram necessárias.

Dito isto, é chegada a hora de explicar melhor o conceito de uma Plataforma de Experiência Digital.

Uma DXP é um software que compreende um conjunto de tecnologias integradas. Esta tecnologia oferece a diversos públicos-alvo o acesso consistente, seguro e personalizado a informações e aplicações através de variados pontos de contatos digitais.

Com esta ferramenta, as organizações podem criar, implantar e melhorar continuamente websites, portais, dispositivos móveis e outras experiências digitais. A DXP gerencia a camada de apresentação com base na função, privilégios de segurança e preferências de um indivíduo. Eles combinam e coordenam aplicativos, incluindo gerenciamento de conteúdo, pesquisa e navegação, personalização, integração e agregação, colaboração, fluxo de trabalho, análise, suporte móvel e multicanal.

Com todas essas funcionalidades, uma DXP cria o cenário perfeito para que as organizações consigam melhorar exponencialmente seu canal de comunicação com seus clientes, proporcionando, através de inovações tecnológicas, experiências digitais incríveis.

Por que usar uma DXP?

Experiência do cliente

 

Com a implementação de uma DXP, as organizações têm a possibilidade de interagir de forma mais assertiva com seus clientes. Além de conhecer melhor os gostos e hábitos do usuário. A possibilidade de poder analisar as interações com a plataforma de experiência digital é um grande trunfo para se obter vantagem competitiva no mercado.

Com base em dados reais, as empresas têm uma visão holística de seu negócio e podem reinventar-se de muitas maneiras. Sob esta ótica, os canais digitais (mídias sociais, web, dispositivos móveis) são o fio condutor da comunicação empresa – usuário.

Neste sentido, é fácil perceber que uma plataforma de experiência digital é um investimento que gera um ROI (retorno sobre investimento) positivo para sua empresa. Porém, iremos aprofundar um pouco mais os benefícios que essa ferramenta apresenta:

  • Prezar pelo compartilhamento de informações entre os pontos de interação – proporcionar de forma eficiente e com níveis de detalhes as informações compartilhadas  entre o público ou áreas da empresa, moldando como oferecer informação para cada necessidade.         

                     Liferay

 

  • Manter o foco em atender as necessidades da audiência – quer dizer que, tendo um feedback de quais canais mais usados, podemos estudar os acessos e produzir conteúdos que levem em conta o gosto dos usuários.

Liferay

 

  • Garantir flexibilidade para criar e editar conteúdo – no Liferay, por exemplo,  você tem um editor rico de conteúdo, onde você pode  anexar documentos, vídeos, gráficos, entre outros.

Conteúdo web Liferay

 

  • Atualizar e editar menus com maior destreza – isso também é funcionalidade de portal você facilmente coloca carrossel de imagens, cria itens em menus e sub portais.

Liferay

 

  • Diminuir o custo de manutenção do portal de informação pela autonomia da empresa – treinando a equipe no uso do Liferay você reduz custo de manutenções complicadas feitas por empresas terceiras ao seu site.

Liferay gerenciador de aplicativos

 

  • Imprimir velocidade de manutenção técnica pelo desenvolvedor – o suporte Liferay te ajuda passo a passo na solução de problemas ligados ao servidor.

Administração do servidor Liferay

 

Quando utilizar uma plataforma de experiência digital na sua empresa?

Estamos na era da Transformação Digital, tanto empresas, quanto usuários, cada vez mais consomem tecnologia de forma simples e dinâmica. Logo, é natural que haja um processo migratório para modelos que utilizam plataformas digitais para alavancar seus negócios.

Apesar de parecer um movimento óbvio, num primeiro momento, é preciso que a empresa saiba que este é um processo amplo e que não está exclusivamente ligado a área de TI.

É papel dos tomadores de decisão das empresas avaliar a maturidade do seu negócio para então decidir se estão preparadas para uma completa transformação de suas operações ou se o foco consiste apenas no marketing e na divulgação de sua marca.

Ter clareza sobre suas prioridades não é uma tarefa fácil, por isso, muitas empresas recorrem a pesquisas e consultorias especializadas em atender essas demandas para obter estas respostas sob um prisma mais estratégico.

Compreender o perfil do público-alvo, analisando seu comportamento online e sua jornada de compra, são fatores fundamentais na hora de se desenvolver uma estratégia de comunicação que proporcione ao cliente uma experiência que gere satisfação e envolvimento.

No momento de decidir implantar uma DXP a empresa precisa considerar os objetivos de negócio que a plataforma se insere, avaliando se a companhia tem diversidade e heterogeneidade de públicos-alvos, volume de tráfego e/ou precisa desenvolver negócios digitais sob a plataforma.

Uma DXP suporta, além da camada da Portais, processos de negócios, como prestação de serviços ao usuário, integrando intranet e extranet.

Com o aumento das interações e possibilidades, é importante contar com um software que faça um bom gerenciamento das informações, coletando dados relevantes para agregar valor e precisão às estratégias, como é o caso do Liferay. O Liferay é a solução mais arrojada no mercado de plataformas de experiência digital.

Conforme vimos ao longo deste post, migrar para uma Plataforma de Experiência Digital parece inevitável, posto que os avanços tecnológicos tendem a aperfeiçoar cada vez mais a maneira com as empresas e as pessoas, de modo geral, se conectam digitalmente.

Estar preparado não é uma opção e sim uma condição para se manter competitivo.

Quer saber mais detalhes sobre Liferay DXP 7.1?

A Liferay, que é considerada pelo Gartner como líder do Quadrante mágico para Digital Experience Platforms, oferece a solução Liferay DXP 7.1.

Nós da Vertigo, somos platinum partner da Liferay aqui na América Latina. Nosso time possui a expertise necessária para tirar todas as dúvidas, de forma prática, através de uma demonstração ao vivo da ferramenta.

Preencha nosso formulário e envie suas dúvidas!