O que sua atitude multicloud revela sobre sua empresa?

O modelo multicloud tem sido muito discutido atualmente. No entanto, um número surpreendente de empresas com restrições regulatórias, que historicamente não tiveram muito desenvolvimento interno de aplicações, ainda está começando a pensar no assunto.

Alguns dos motivos pelos quais as pessoas estão pensando em usar multicloud atualmente tem a ver com o passado da TI mundial: quando o Amazon EC2 foi lançado em 2006, a indústria descobriu ser possível escrever um software que controlasse toda a infraestrutura. Antes era preciso adquirir diversos ambientes, abrir um ticket de suporte e esperar por um longo tempo para obter um acesso que ainda era bem limitado. Foi a mudança revolucionária que criou esta enorme indústria cloud native atual.

Mas ao longo do caminho um pouco dessa emoção se perdeu. Algumas empresas adotaram a nuvem sem realmente saber como lidar com ela. Em suas implantações iniciais não havia roteiros, o que fez com que seguissem certos caminhos que tornaram difícil ver o sucesso dos negócios, até mesmo com custos saindo do controle de uma forma não prevista. As organizações esperavam substituir seus data centers pela nuvem e, então, descobriram que a nuvem estava, na verdade, custando mais. Essa não é uma história nem um pouco incomum.

Outro problema é a dificuldade em encontrar e contratar talentos que entendam de nuvem. A responsabilidade é comumente passada para as equipes de infraestrutura que acabam por gerenciá-la da mesma forma que gerenciam ativos no data center.

Ou seja, falta a percepção de um ponto fundamental sobre a nuvem: os ativos não são mais físicos como o hardware, os racks e os cabos. É o software. Portanto, é necessário ter o mesmo nível de cuidado com sua aplicação cloud native que com seu software de aplicação e com as aplicações de negócios oferecidas.

Resumindo, antes tínhamos uma nova infraestrutura que foi adotada por um novo conjunto de consumidores e empresas digitais que viram muitos benefícios, flexibilidade e redução do custo de operação. E, atualmente, os que estão migrando somente agora para a nuvem, o fazem sem a mudança de paradigma necessária sobre a infraestrutura.

Cloud Native está sendo usado basicamente como um substituto para os dados centrais, com os mesmos processos, práticas e culturas utilizados em sistemas legados. O resultado disso é que os desafios enfrentados continuam os mesmos, mas com maior atrito e custo de operação mais alto.

A questão é que muitos profissionais de TI ainda não sabem exatamente o que multicloud pode significar e quais são seus benefícios. Além disso, a forma como as pessoas pensam sobre esse tema geralmente mapeia o quão longe estão em sua jornada de Transformação Digital. Quer saber como? Continue lendo nosso artigo e entenda!

 

O que você procura ao usar multicloud?

Aqui estão os pensamentos mais comuns que passam pela cabeça das pessoas quando elas dizem que o uso de multicloud trará alguns problemas:

  1. Ter cargas de trabalho que vão e vêm entre diferentes provedores de nuvem (geralmente com base em algum tipo de otimização baseada em custos);
  2. Ter cargas de trabalho em provedores de nuvem diferentes para minimizar a dependência de qualquer nuvem;
  3. Ter cargas de trabalho que são implantadas em uma nuvem com backup em outra;
  4. Ter cargas de trabalho que são implantadas em uma nuvem e explodem em outra;
  5. Ter cargas de trabalho arquitetadas para existir em vários provedores de nuvem;
  6. Ter cargas de trabalho diferentes em provedores de nuvem diferentes para aproveitar as vantagens dos recursos exclusivos das várias nuvens ou familiaridade de várias equipes com propriedades específicas.

Tudo isso parece razoável, mas se enquadra em uma das seguintes categorias: os quatro primeiros pensamentos são muito orientados para a nuvem / infraestrutura e refletem considerações em data centers privados. Os dois últimos são mais Cloud 2.0, as aplicações parecem diferentes por causa dos serviços que estão disponíveis acima da camada de infraestrutura em várias nuvens.

 

Que inovação você está deixando para trás ao pensar com uma mentalidade de Cloud 1.0?

O que fica aparente é como as conversas sobre os benefícios da multicloud com organizações mais avançadas tendem mais para os benefícios da Cloud 2.0 do que com organizações que ficam para trás.

Um número razoável de pessoas ainda vê a nuvem (e, por extensão, a multicloud) como uma discussão sobre infraestrutura com foco somente na redução de custos. Mas, um shift and lift para a nuvem não tende a reduzir os custos por si só.

As organizações que entendem essa questão estão se concentrando em como a nuvem é um facilitador. Elas percebem que algumas equipes precisam de ferramentas diferentes das outras ou, por algum motivo, cresceram acostumadas a um conjunto de ferramentas específico de uma nuvem em vez de outra.

Nesses casos, a conversa muda rapidamente para: “Como posso garantir que meu pessoal receba o que precisa, mas que ainda esteja ciente de seu uso e capazes de manter as coisas seguras e em conformidade?”

Isso significa que, com organizações que obtêm mais valor da nuvem (os líderes em Transformação Digital), as conversas são sobre como abraçar e gerenciar a heterogeneidade em nuvens, serviços e aplicações. Eles não se referem a analisadores de custo de instância pontual, mecanismos de gestão de carga de trabalho em implementação ou portabilidade.

Muitos lugares vão descobrir que, mesmo com uma abordagem multicloud, a maioria das cargas de trabalho gravita para um lugar. Outros podem descobrir que várias equipes têm fervor quase religioso em torno de sua escolha de nuvem específica. O importante é que todas essas equipes possam realizar seu trabalho.

Se você está focado na contenção de custos, pode fazer sentido dar um passo para trás e fazer perguntas sobre o que mais sua organização poderia fazer. O custo é uma consideração importante em qualquer negócio, mas não exclui o resto.

Há muita experiência e conjuntos interessantes de ferramentas que podem ajudar a simplificar o gerenciamento da multicloud para sua organização. É definitivamente possível oferecer suporte às tecnologias de que suas equipes precisam e estar seguro fazendo isso.

 

Quais mudanças são necessárias para adotar multicloud?

É preciso ter uma abordagem holística para mudar seu negócio e a maneira como se opera. Ou seja, existem algumas áreas que as empresas precisam abordar, porque multicloud é uma mudança fundamental de paradigma.

Portanto, a primeira transformação é em torno da tecnologia. Deve-se abordar cloud native de uma perspectiva de software, em vez de uma perspectiva de hardware e ativos de capital. Portanto, embora haja muitas habilidades profundas de infraestrutura e de rede necessárias para gerenciar seus ambientes, também é necessário trazer a engenharia de software.

A segunda coisa que precisa ser modificada é a organização em si. Separação entre operações, infraestrutura e engenharia de desenvolvimento de aplicações é uma separação artificial quando falamos de nuvem. É preciso reunir essas áreas em um verdadeiro estilo DevOps: em uma mudança cultural e organizacional.

Com DevOps e Agile você executa o verdadeiro processo de Transformação Digital na sua empresa e tem acesso a resultados rápidos que justificam sua implantação e continuidade. Sua TI corporativa passa de inimiga à principal catalisadora de mudanças.

Nosso método para modernização de TI acelera o desenvolvimento de soluções e simplifica sua sustentação, conheça:

 

  • Pipelines de Construção de Entrega: desenvolva pipelines de integração contínua, entrega e implantação de aplicações, serviços e infraestrutura.
  • Migração para a Nuvem: ganhe escalabilidade e agilidade no provisionamento através de infraestrutura e serviços em nuvem, facilitando a manutenção das diversas aplicações.
  • Consultoria em DevOps: adote DevOps sem depender de grande investimento inicial. Promova mudanças de cultura, processos e ferramentas de forma gradual e eficaz.
  • Modernização de Aplicação: reduza o custo e esforço de manutenção. Evolua seus processos e ferramentas, mantendo o legado que sustenta seu negócio.
  • Automação de Provisionamento: execute o provisionamento de serviços e infraestrutura com automações seguras, resultando numa jornada self-service para os times de produtos.

 

A terceira coisa é pensar em construir plataformas com um conjunto coerente de recursos expostos por APIs self-service que atendam aos objetivos de negócios.

Se você está construindo uma plataforma que apenas expõe vários recursos técnicos em detrimento às pessoas que vão usá-la, provavelmente não está usando seus recursos da maneira mais eficiente. Em vez disso, você deve direcioná-la às necessidades de negócios. 

 

Concluindo

Multicloud é sobre gerenciamento de risco. Cada ativo implantado em um único provedor de nuvem agora são diferentes ativos implantados em diferentes fornecedores de nuvem. Esses são os riscos. O grande fator que as organizações esquecem nesse momento é o controle.

Isso é algo que as companhias precisam ser capazes de fazer, uma lição que precisam aprender continuamente. Na TI sabemos há muito tempo que o sucesso do seu negócio depende da manutenção de um certo nível de controle sobre seus ativos de TI.

É por isso que a nossa atuação nesse processo faz a diferença, pois entendemos o protagonismo que a empresa deve ter em seu processo de Transformação Digital, por isso atuamos como parceiros estratégicos. Afinal, estamos há mais de 21 anos ajudando líderes inovadores a transformar o mundo.

Entre em contato conosco para saber mais sobre nossa esteira de soluções para uma Transformação Cloud Native e obtenha novos processos, práticas e ferramentas que, aliadas à automação de testes e entregas, resultam em equipes motivadas e aceleram mudanças de forma mais ágil e segura.

 

Descubra o quanto sua empresa é Cloud Native com este questionário e receba um relatório com propostas de aceleração

 

Preencha o formulário para conversar com os nossos especialistas e saber como esses métodos podem ajudar a sua empresa chegar ao sucesso.


Os comentários estão encerrados.