Conheça o método de integração de sistemas à prova de futuro

integração de sistemas

Integração de sistemas ainda é um super problema para muitas TIs corporativas. Diariamente, nos deparamos com grandes empresas fragilizadas pelo cenário caótico de integrações. Comumente, estas empresas amargam um time to market dilatado para projetos que dependam da TI, dada a dificuldade em fazer as integrações necessárias para cada projeto.

Conforme vimos no artigo sobre iPaaS, muitos times de TI viram suas demandas por conectividade entre aplicações crescer desgovernadamente, impactadas pela popularização das soluções SaaS nas empresas, pela migração para a nuvem e pelo ritmo acelerado de mudanças tecnológicas dos últimos tempos.

Como consequência a este cenário, comumente nos deparamos com muitas empresas cuja arquitetura de integrações mais parece uma teia de aranha.

Neste ponto, qual seria o modelo de integração de sistemas eficiente e à prova de futuro?

API-led connectivity é um termo que vem sendo evangelizado pela MuleSoft para expressar o método de integração de sistemas que se baseia na adoção de APIs públicas e privadas para conectar todos os sistemas da empresa. Em tradução livre, o termo API-led connectivity pode ser entendido como conectividade liderada por APIs.

Nós, da Vertigo, gostamos muito deste conceito, pois expressa o estado da arte no que tange a integração de sistemas. Sua adoção permite aos times de TI entregar projetos de 3 a 5 vezes mais rápido e o aumento da produtividade costuma chegar a cerca de 300%.

Ficou impressionado com esses números?

Confira neste conteúdo todas as informações que você precisa saber sobre o API-led connectivity e como de fato este modelo pode revolucionar a TI da sua empresa.

Inscreva-se no nosso blog para ser notificado quando publicarmos conteúdos como este!


Por que a conectividade liderada por API é necessária para resolver problemas de integração?

Ter uma estratégia de APIs está se tornando cada vez mais importante, já que as tecnologias que as empresas estão usando para interagir com seus clientes, funcionários e parceiros, mudam em uma velocidade nunca vista antes.

A convergência de tecnologias corporativas como IoT, SaaS, big data, redes sociais, apps e APIs, está fornecendo novas ferramentas poderosas para permitir que as empresas façam mais, gerem novos fluxos de receita, compreendam melhor seus clientes e inovem mais rápido do que nunca.

Além disto, a crescente adoção de microsserviços exige que as empresas amadureçam na utilização de APIs públicas e privadas, para conectar os microsserviços e as aplicações nos sistemas da empresa.

Deste modo, é preciso integrar essas novas tecnologias.

Sempre que um projeto exige integrações, elas são feitas por meio de conexões ponto a ponto, também conhecidas como ad hoc. Isso torna o sistema frágil e complexo, tornando-o propenso a falhas, o que exige muito tempo e recursos de TI para serem mantidos.

Além disso, houve um aumento na frequência de atualizações nesses novos sistemas. Por exemplo, enquanto o banco de dados de um sistema bancário geralmente é modificado uma vez ao ano, os requisitos das aplicações, on-line e móveis, que se conectam a esses sistemas, podem mudar semanalmente, diariamente ou até mesmo por hora. A velocidade dessas mudanças não pode ser atendida pelos métodos tradicionais de integração ponto a ponto. Neste caso, necessita-se de outra abordagem: conectividade liderada por APIs.

O que é API-led connectivity?

API-led connectivity é um método de integrar dados à aplicações por meio de APIs reutilizáveis ​​e específicas. Essas APIs são desenvolvidas para desempenhar um papel determinado – desbloquear dados de sistemas, compor dados em processos ou fornecer uma experiência.

Quando toda a organização adota uma estratégia de integração orientada a APIs, todos na empresa passam a ter a capacidade de acessar os melhores recursos na entrega de aplicações e projetos. Isto se dá à partir da descoberta, do self-service e da reutilização de APIs.

O objetivo da API-led connectivity não é apenas criar APIs reutilizáveis ​​para compor novos serviços e capacidades, mas também descentralizar e democratizar o acesso aos dados da empresa. A TI produz ativos reutilizáveis ​​e, no processo, desbloqueia os principais sistemas, incluindo sistemas legados, fontes de dados e aplicações SaaS.

A equipe de TI e outras equipes de projetos podem reutilizar esses ativos da API e compor as informações no nível do processo. Em seguida, os desenvolvedores de aplicações podem descobrir e se “auto-servir” em todos esses recursos reutilizáveis, criando a camada de experiência de APIs e, por fim, as aplicações. Essa abordagem de integração conduzida por APIs aumenta a agilidade, a velocidade e a produtividade na entrega de projetos.

Como a integração orientada por APIs reduz a carga de trabalho da TI?

API-led connectivity tem um papel importante a desempenhar. Isso ocorre porque a TI muitas vezes tem a tarefa de implementar essas novas tecnologias, fazendo as adaptações necessárias, além de manter os sistemas legados (e sustentar suas conexões com outros sistemas).  

As demandas para a TI estão sempre crescendo, mesmo quando seus recursos permanecem constantes. Eventualmente, o que resulta é uma lacuna de entrega da TI:

O número de novos projetos necessários para implementar as necessidades tecnológicas atuais – medidos em relação à capacidade da TI de entregá-los – está sempre aumentando. E, à medida que os requisitos tecnológicos do negócio continuam a crescer de forma multiplicativa, os recursos de TI crescem apenas de forma linear, independentemente de quantos recursos uma empresa possa lançar sobre o problema.

De acordo com Mulesoft, a maioria dos tomadores de decisões de TI esperam que seus orçamentos permaneçam os mesmos ou aumentem muito pouco; portanto, dispor de recursos ilimitados não são uma opção. É por isso que o API-led connectivity é uma estratégia de integração vencedora.

Como funciona o modelo de integração orientada por APIs?

API-led connectivity fornece uma abordagem para conectar e expor ativos. Com essa abordagem, em vez de realizar conexões ponto a ponto, cada recurso se torna uma API gerenciada – uma API moderna, que permite a descoberta por meio de self-service, sem perder o controle sobre a gestão de cada recurso.

As APIs usadas em uma abordagem liderada por API para conectividade podem ser classificadas em três categorias:

  • APIs de sistema – geralmente acessam os principais sistemas da empresa e fornecem um meio de isolar o usuário da complexidade tecnológica. Uma vez criados, muitos usuários podem acessar dados sem precisar aprender os sistemas subjacentes e podem reutilizar essas APIs em vários projetos.
  • APIs de processo – essas APIs interagem e modelam dados em um único sistema ou entre sistemas (dividindo silos de dados) e são criadas aqui sem depender dos sistemas de origem desses dados, bem como dos canais de destino, por meio dos quais esses dados são entregues.
  • APIs de experiência – as APIs de experiência são o meio pelo qual os dados podem ser reconfigurados para que sejam mais facilmente consumidos por seu público-alvo, tudo a partir de uma fonte de dados comum, em vez de configurar integrações ponto a ponto separadas para cada canal. Geralmente, uma API de experiência é criada com princípios de design baseados em API, em que a API é projetada com foco na experiência do usuário.

Ao criar e organizar suas APIs dessa maneira e, em seguida, torná-las detectáveis ​​e disponíveis para o negócio de forma autossuficiente, a conectividade conduzida pela API torna seu negócio mais compacto. Deste modo, permite que as equipes de toda a empresa componham, recomponham e adaptem essas APIs às necessidades em mudança do negócio.

Como a conectividade liderada por APIs poderia me ajudar no meu negócio?

API-led connectivity é um elemento crítico para fechar a lacuna de entrega de TI. Em uma abordagem tradicional de integração ponto-a-ponto, pode-se desejar desenvolver uma aplicação web para fornecer status de pedidos em tempo real e histórico de pedidos. Para este exemplo, vamos supor que você tenha dados do cliente no SAP e no Salesforce, dados de inventário no SAP e order data em um sistema de comércio eletrônico.

O que pode ser feito neste momento é que sua equipe de TI pode agregar os dados dos clientes, integrando a base de dados de todos os sistemas – com os códigos. Em seguida, os dados concatenados são combinados com os dados do pedido no sistema de comércio eletrônico para produzir o status do pedido e os dados do histórico de pedidos – com mais códigos. Agora, essas duas fontes de dados são conectadas a uma API da aplicação web, que pode ser utilizada pelo app.

Este projeto pode ser considerado um sucesso: foi lançado no prazo, dentro do orçamento e tem a funcionalidade correta. Mas, em seguida, a equipe de vendas, que frequentemente está na estrada, exige que essa funcionalidade esteja disponível em seus telefones celulares. Assim, a equipe de TI agora tem a tarefa de criar um aplicativo para dispositivos móveis. Mas os desenvolvedores que criam o aplicativo não podem usar nenhum dos trabalhos que foram feitos em projetos anteriores. Então, eles deverão refazer todo o trabalho, o que já não é um bom resultado.

Mesmo que os desenvolvedores saibam que essa é provavelmente uma abordagem míope, eles justificam isso, dadas as pressões de tempo, tipicamente intensas. Se houver consultores envolvidos (como é típico), o problema se agrava, pois eles têm pouco incentivo para pensar no longo prazo. Com o tempo, as mudanças se tornam muito caras ou quase impossíveis de serem feitas. Mas como a mudança é constante, a agilidade agora é muito difícil. Como você pode ver abaixo, o padrão conhecido de “código de espaguete” começa a tomar forma.

Com uma abordagem de conectividade liderada por API, no entanto, quando as equipes têm a tarefa de criar um novo aplicativo móvel, agora há recursos reutilizáveis, criados a partir de APIs de sistemas e processos, eliminando todo o trabalho necessário para criá-los.

Criar o aplicativo móvel, portanto, é uma questão de conectar os vários sistemas. E agora é muito mais fácil inovar e adicionar novos serviços neste caso, adicionar informações de status de envio, etc. Isso economiza tempo, dinheiro e recursos, e garante que os projetos possam ser concluídos mais rapidamente.

Como você pode ver, a integração orientada por APIs usa alguns dos princípios da arquitetura orientada a serviços, mas essa abordagem é uma evolução da SOA na direção do consumo de self-service de ativos reutilizáveis.

A abordagem de conectividade conduzida pela API permite que os desenvolvedores em toda a empresa componham e recomponham serviços reutilizáveis, ​​para criar os projetos que considerem necessários, em vez dos processos pesados estilo top-down das abordagens SOA tradicionais.

O método em que esses ativos são usados ​​em uma empresa é tão importante na abordagem de integração de sistemas orientada por APIs quanto os próprios ativos.

Quais são os benefícios comerciais da conectividade liderada pela API?

Uma abordagem de conectividade conduzida por API para entregar projetos de TI garante que você não esteja apenas no prazo e no orçamento de seus projetos, mas também construa os ativos reutilizáveis ​​que economizarão tempo e dinheiro para a empresa, criando uma infraestrutura projetada para mudança, construída com visibilidade, conformidade e governança. Além disto, que atenda às necessidades do negócio, no que tange a agilidade sustentável no longo prazo.

API-led connectivity permite que você avance rapidamente em seu primeiro projeto, mas, na verdade, acelere ainda mais a partir do seu segundo projeto, devido a recursos reutilizáveis ​​e a uma capacidade organizacional integrada. A conectividade conduzida pela API libera recursos, permitindo que você inove e se mova rapidamente.

Em média, os clientes da MuleSoft descobriram que os aumentos na agilidade e velocidade proporcionados pela conectividade liderada pela API levaram a entregar projetos 3x a 5x mais rápido e aumentaram a produtividade da equipe em 300%, em comparação com soluções de integração herdadas ou domésticas.

Como posso aprender mais sobre conectividade liderada por API?

Para  entender melhor sobre como a conectividade conduzida por API pode beneficiar sua empresa, converse com um especialista da Vertigo.