Entenda o que é uma API!

Entenda-o-que-é-uma-API

 

Você sabe o que é API? API (Application Program Interface) é uma interface que permite a comunicação entre dispositivos ou sistemas. Na era da internet das coisas, dos novos modelos de negócio e novas aplicações, as APIs tornaram-se ferramentas fundamentais para permitir que diferentes sistemas e “coisas” se comuniquem. É uma “ponte” que liga o sistema “A” com o sistema “B”. Desenvolver um programa ou modelo de negócio usando tecnologia, e sem usar uma API, pode ser extremamente para escalar o seu negócio.

APIs não só diminuem o tamanho de um software, facilitam a manutenção como também o tornam mais dinâmico e menos suscetível a erros.

Saiba mais sobre o assunto e entenda o que é API:

Ponte no mundo do software

Quando se perguntar o que é API, pense em uma ponte ligando dois ou mais pontos. Em outras palavras, é uma porta inteligente, que foi programada para que os desenvolvedores acessem, alguns dados, de uma organização. Quando um desenvolvedor cria um app que utiliza GPS, ele não precisa programar linhas de código que instruam o celular a se conectar a um satélite para obter as coordenadas do local onde o usuário se encontra. Nesse caso, o Google Maps já possui isso pronto e desenvolvido, logo o 99, Uber, Cabify, Correios e etc. Em vez disso, essas empresas podem simplesmente digitar um comando, e chamar a API do Google Maps. Para que assim, o aplicativo do sistema do aparelho solicite a localização atual daquele dispositivo. Seria algo como um “getLocation“.

Outro exemplo é o cadastro de redes sociais. Se pensarmos nesse tipo de cenário, onde um site que utiliza informações do Facebook/Gmail para cadastrar novos usuários, como é o caso do TripAdvisor ou Spotify, vamos entender que isso só é possível por conta dessa integração.

Através das APIs, o site envia um comando para os servidores, solicitando informações necessárias, para que esse novo usuário possa criar uma conta, de forma simples. Sem esse recurso, esse tipo de site teria que desenvolver do zero formulários de cadastro, páginas para a criação de novas contas e um banco de dados para armazenar todas essas informações.

Dessa forma, esse site já utiliza tudo o que precisa e que já está presente nos servidores do Facebook/Gmail pegando somente aquilo que é necessário para a realização do novo cadastro. É importante lembrar que quanto mais campos são pedidos no momento de um cadastro ou de uma venda, maior a chance desse usuário desistir de se cadastrar ou comprar. As APIs ajudam nesse ponto também.

Quais são os tipos de APIs?

Você sabia que há uma diferença em saber o que é API privada e pública? Explicaremos de forma bem simples e rápida, sobre APIs Públicas e Privadas. Qualquer dispositivo (celular, PC, Carro, Totem, Site, Aplicativo) com conectividade com a Internet pode usar uma API. Isso, independentemente do sistema operacional ou da linguagem de programação. Isso facilita a construção de plataformas e permite a criação de novos modelos de negócios de forma muito mais rápidos do que antes.

As APIs públicas são geralmente livres ou mesmo estruturadas como um plano freemium, para que os desenvolvedores possam utilizar. Há também uma opção de compra para uso de um determinado limite de chamadas por mês. Estima-se que atualmente existam mais de 15.000 API públicas.

Nem todas as APIs são abertas para o público ou mesmo para qualquer tipo de desenvolvedor utilizar. Muitas APIs são usadas apenas internamente, como o uso da Netflix de uma API privada, que alimenta todas as transmissões de vídeo internamente.

A comercialização de novos negócios através do conceito de primeiro desenvolver as API começou a tomar forma. Isso também é excelente para se integrar com os parceiros de negócio.

Exemplos de APIs

Para quem está pensando em criar APIs, existem ferramentas de código aberto (MulesoftWSO2) e proprietário (Oracle, IBM, SAP, Tibco, RedHat e outras) que auxiliam nessa tarefa. APIs podem ser públicas, pagas ou até de uso privado ou limitado. Isso vai depender do objetivo da empresa e que tipo de solução ela quer entregar. Listamos alguns exemplos famosos de APIs:

APIs famosas

Shoptime

Utiliza uma API, consumindo serviços do KM de vantagens da Ipiranga.  Ou seja, quando uma compra é feita pelo Shoptime, automaticamente pontua-se no programa de milhagens da Ipiranga. As duas empresas ganham com esse tipo de parceria.

Decolar

O funcionamento dessa empresa acontece através do consumo intensivo de API. Toda a informação que é exibida para o usuário final, antes foi verificada com as demais empresas. Cada vez que acontece uma nova consulta sobre qualquer serviço que o Decolar vende, várias APIs são chamadas para verificar o preço e a disponibilidade em tempo real. Para essas empresas, o Decolar funciona como mais um canal de vendas! 

Twitter

Usa uma API pública, mas limita a quantidade de vezes que um programa pode ter acesso a ela a cada hora. Isso evita que o site seja atacado por spammers ou tenha sua experiência de uso comprometida, em função do excesso de chamados.

Apple

Possui inúmeras APIs nos seus sistemas operacionais. Isso permite que os desenvolvedores possam utilizá-las para criarem apps, desde que paguem anualmente por isso. Assim, a empresa controla o software, que é disponibilizado para os seus sistemas, garantindo que cumpram certas diretrizes de segurança.

Windows

A empresa está liberando o acesso a grande maioria das suas APIs gratuitamente. O objetivo é manter o alto número de aplicativos, tendo em vista que o sistema operacional da Microsoft é um dos mais utilizados do mundo. O mesmo conceito serve para o produto Xbox, que já se integra com outros serviços da empresa via API.

Conclusão

Cabe ao desenvolvedor decidir qual será mais útil ao sistema que ele está trabalhando. Existem dezenas de milhares de APIs disponíveis para uso gratuito ou pago na internet. Dê preferência, é preciso priorizar as que possuem uma boa documentação. Isso reduz a incidência de problemas para implementar novas funções em seu software, aém de ter um suporte a erros mais eficiente.

Existem, é claro, casos em que é impossível fugir do uso de certas APIs. Não há como criar uma aplicação baseada no Twitter sem se sujeitar às regras de uso da API da rede social, por exemplo. Mas isso não é um problema se elas forem bem utilizadas. Ao abrir as janelas da sua aplicação para o mundo, você gera aumento no engajamento do usuário e um app dinâmico e livre de erros.

E você, vai desenvolver uma API e quer ajuda de um especialista? Já ajudamos uma empresa no ramo de Petróleo e Gás e uma Cervejaria no desenvolvimento de APIs.

Estamos sempre lançando conteúdos a respeito de API em nosso blog. Assine nossa newsletter e personalize seu conteúdo para ficar por dentro de tudo!

Até mais!