API de sucesso: aprenda 7 etapas fundamentais para criar a sua

API de sucesso

Construir uma API de sucesso vem sendo o norte dos desenvolvedores mais alinhados com o nosso momento atual. Vivemos numa era em que os dados são um dos ativos mais valiosos que uma empresa pode possuir.

Com isto, o foco de muitas empresas tem sido buscar novas formas de facilitar e aperfeiçoar a intercomunicação de dados entre aplicativos internos. Outra medida adotada é a de abrir as suas reservas de dados para entrar na economia de plataformas.

Boa parte das organizações já percebeu que os modelos de negócios baseados em plataformas tendem a aumentar a estratégia de crescimento.

Podemos dizer que as APIs são o cerne da nova era que se apresenta diante de nossos olhos – a era da Transformação Digital.

As APIs de sucesso são aquelas consumidas por desenvolvedores de vários setores, com necessidades diferentes, e que estão sob constante pressão para crescer e evoluir seus serviços, à medida que a empresa e o mercado amadurecem.

Com a dinâmica entre as necessidades do consumidor e a dinâmica do mercado, fica claro que as APIs não podem mais ser tratadas meramente como artefatos técnicos. Ao invés disso, devem ser tratadas com a mesma atenção e planejamento de um produto de primeira classe.

É por isso que uma abordagem de gerenciamento de produtos é importante para aproveitar o verdadeiro potencial de uma oferta de API de sucesso, oferecendo um serviço atraente tanto para desenvolvedores internos, quanto para os desenvolvedores externos.

Para produzir uma abordagem voltada para o consumidor e voltada para o produto, podemos utilizar uma estrutura simples para pensar em todo o desenvolvimento e entrega da API.

Confira abaixo as 7 etapas principais para ajudar na jornada de criação de uma API de sucesso:

Etapa 1: compreenda o objetivo da sua API

 

objetivo da API de sucesso

Qual problema sua oferta de API promete resolver? Ter uma abordagem orientada a resultados para o desenvolvimento de APIs pode ajudá-lo a definir métricas melhores de sucesso, criar uma estratégia de desenvolvimento sustentável e escalonável, além de facilitar a aceitação mais rápida das partes interessadas. Alguns casos de uso famosos para APIs incluem:

  • Facilitar o desenvolvimento mais rápido e criar uma arquitetura adaptável, expondo todos os serviços internos via APIs – Amazon
  • Criar uma plataforma de sucesso para impulsionar um maior engajamento dos usuários – Facebook
  • Aumentar o tráfego para o website principal, incentivando o envio de usuários por meio de um modelo de API de parceiro – eBay

É importante entender completamente o objetivo da sua API para ver como ela é mapeada na taxonomia do seu negócio. Essa taxonomia é composta de blocos de construção menores do seu negócio a partir de uma postura funcional.

Identificar isso e definir o espaço do problema de sua API ajuda a fornecer uma abordagem mais focada para conceituar o objetivo exato de sua API e como ela é mapeada em sua empresa.

Etapa 2: compreenda o público da sua API

É fácil jogar a palavra “desenvolvedor” por aí. O que é importante entender é qual resultado o desenvolvedor final está tentando alcançar e em qual domínio ele está. Podem haver dois tipos de consumidores para suas APIs:

  • Consumidores em sua vertical direta: esse tipo de consumidor de API cria serviços que beneficiam diretamente o consumidor principal de seu produto principal.

Por exemplo, os usuários finais do Slack são pessoas dentro de uma empresa tentando se comunicar melhor umas com as outras. Para facilitar ainda mais a colaboração e a comunicação, a API do Slack pode ser facilmente integrada a muitas ferramentas populares de terceiros que as empresas usam e centralizam as notificações recebidas dessas ferramentas. Dessa forma, a API do Slack pode beneficiar diretamente as mesmas pessoas que usam suas ferramentas e aumentam o engajamento e o valor.

  • Consumidores em verticais tangenciais: esse tipo de consumidor de API cria serviços que podem não necessariamente ajudar o consumidor direto do produto, mas resolve a necessidade de outro vertical.

Por exemplo, empresas de transporte particular, como a Uber, poderiam se integrar à API do Yelp para dar sugestões de bons restaurantes, dependendo da localização e destino de seus passageiros. Neste exemplo, a API do Yelp se conecta à API da Uber e, através disso, alcança usuários por tabela, agregando mais valor à experiência do cliente. Em geral, isso permite que você tenha a visão da cadeia de valor completa da API, composta pelos consumidores diretos e indiretos da API.

Etapa 3: alinhar sua equipe

 

equipe da API de sucesso

Um programa de API escalável e bem-sucedido precisa primeiro de uma equipe sólida por trás disso e que esteja totalmente ciente dos objetivos e da finalidade da API. Uma ótima equipe começa com o alinhamento.

A crença de que as APIs são produtos, que resolvem problemas e têm clientes que se preocupam com a sua qualidade, é uma mentalidade que precisa ser instilada por todas as equipes. Uma cultura de transformação digital envolve total adesão ao poder das APIs para ser a base de uma plataforma bem-sucedida.

O alinhamento pode vir quando você articula claramente o estado atual e futuro de suas APIs e como elas se relacionam com toda a sua estratégia de negócios. Depois disso, descubra como você une todas as suas equipes de desenvolvimento, operações e marketing.

A maneira de escolher as pessoas certas e definir processos que mantenham intactos seu fluxo de trabalho, pode ser um fator determinante no sucesso de suas APIs. Você também deve implementar ferramentas que suportem uma abordagem colaborativa para o desenvolvimento dessas APIs.

Etapa 4: desenvolva sua API incrementalmente

Ter uma abordagem orientada para produto envolve a criação de APIs que forneçam um valor imenso aos seus consumidores. Isto é possível, incentivando a participação dos usuários como forma de mensurar a qualidade da API desenvolvida.

Neste sentido, além de ter um canal de comunicação direto com os usuários das APIs, é preciso levar em conta suas críticas e sugestões. Outra boa prática é ficar de olho nas inovações tecnológicas e, com isto, manter suas APIs em constante evolução.

O ciclo de vida de uma API tem diversas fases, que vão desde o projeto, sua criação, testes, funcionamento até o acompanhamento e correção de eventuais erros. É fundamental notar que todas estas fases devem ser suportadas por uma boa infraestrutura de ferramentas que se alinhem com a cultura, metodologias e práticas da sua empresa.

Existem no mercado algumas ferramentas como o Anypoint Platform que auxiliam as equipes de desenvolvimento a projetar e construir APIs em um ambiente colaborativo e seguro.

Etapa 5: defina os KPIs

Um Key Performance Indicator (KPI) é um valor mensurável que demonstra a eficiência com que sua API está atingindo seus objetivos de negócios. Enquanto sua API está sendo desenvolvida, é importante entender exatamente quais são algumas medidas quantificáveis ​​de sucesso do seu programa de API. É fácil se perder em um mar de KPIs em potencial com os quais você pode se comparar, de modo que vincular seus resultados mensuráveis ​​ao objetivo e público da API, definidos nas etapas 1 e 2, pode ajudar.

Etapa 6: Coletando e agindo no feedback

As métricas definidas na etapa anterior podem ajudar você a definir comparações de mercado, ao coletar feedback sobre a qualidade e o valor comercial de sua API. Depois de concluir as fases acima, disponibilize as APIs em um portal básico para permitir o consumo das partes interessadas e obter seus feedbacks. Esta etapa busca obter algum feedback valioso de amostra inicial de usuários em potencial, da seguinte forma:

  1.   Identificar os primeiros usuários que podem fornecer feedback. Você pode alavancar relacionamentos com alguns de seus clientes existentes ou vasculhar os primeiros usuários em canais nos quais eles costumam estar presentes.
  2.   Coletar e consolidar o feedback, para iterar nele.

Esse feedback precisa ser processado, avaliado e, se for o caso, implementado rapidamente, como parte da filosofia de construir-medir–aprender. O novo feedback é novamente incorporado ao processo de design e desenvolvimento da API, liberando novas atualizações continuamente.

Etapa 7: marketing da API de sucesso

O marketing da sua API de sucesso deve se preocupar em educar seus consumidores sobre seus benefícios e defender o porque ela deve ser parte essencial da cadeia de ferramentas do desenvolvedor.

No final do dia, você quer ter certeza de que suas APIs estão sendo descobertas e consumidas, interna e externamente.

Em geral, o marketing é uma combinação de conteúdos que visam promover a API de sucesso, de forma integrada.

Além disso, é necessário gerar conhecimento sobre o produto através de tutoriais de utilização, criar canais para interagir e aproximar os desenvolvedores dos usuários.

Obviamente não existe um jeito único para se fazer uma estratégia de marketing, o que não se deve fazer é negligenciar essa etapa.

Criando uma API de sucesso no Mulesoft Anypoint Platform

Criar API de sucesso com MuleSoft

Como vimos, para a construção de uma API de sucesso é preciso ter o consumidor final no centro da estratégia da API.

Porém, é essencial ter uma ferramenta como o Anypoint Platform da MuleSoft, onde, além facilitar a construção, é possível gerenciar todo o ciclo de vida da API.

Neste sentido, contar com uma equipe de especialistas em implementação do Mulesoft nas empresas é extremamente necessário para aproveitar ao máximo todos os benefícios oferecidos pela ferramenta.

A parceria com a MuleSoft, desde 2012, deu tão certo que a Vertigo é a empresa com mais cases de sucesso da implementação da ferramenta no Brasil.

Quer saber como podemos ajudar você também? Preencha o formulário abaixo e solicite uma demonstração ao vivo para um de nossos especialistas.