preloader

Aplicando DevOps na Rede Nacional de Ensino e Pesquisa

A Transformação Cloud Native surge com objetivo de mudar cultura, processos e ferramentas de uma TI corporativa, gerenciando e construindo soluções. Entre os principais benefícios esperados estão a capacidade de realizar entrega contínua de aplicações, tornando-as mais ágeis, seguras e previsíveis.
Depende de mudança cultural profunda e enfrenta tanta resistência inicial que é necessário reduzir e controlar o microcosmo em que ela é introduzida em uma empresa, selecionando poucos produtos (ou projetos) corporativos específicos e iniciando a jornada de transformação a partir deles.
Para estes projetos damos o nome de Lighthouse Projects, pois seu sucesso rápido e mensurável serve de inspiração e exemplo para a longa mudança organizacional que traz imensos benefícios ao longo dos próximos anos.
Nestes casos é importante estar atento a uma oportunidade (ou mesmo situação de crise) que reúna times dispostos a correr riscos e alguns gestores corajosos. Foi isso que aconteceu com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) ao iniciar sua Transformação Cloud Native a partir de um projeto de pesquisa antigo, problemático e prestes a ser cancelado: o SiBBr.

O que é SiBBr?

O Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira – SiBBr é a primeira e maior infraestrutura nacional de dados e informações em biodiversidade. Tem como objetivo subsidiar políticas públicas, apoiar ações de conservação e de uso sustentável, bem como promover o conhecimento da nossa biodiversidade.
Além disso, possui uma estrutura modular que possibilita adaptações e evolução de acordo com as necessidades de cada país. Atualmente, no Brasil o SiBBr é mantido e operado pela RNP – Rede Nacional de Ensino e Pesquisa.

Sobre a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP)

A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa é uma Organização Social (OS) vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) e mantida por esse em conjunto com os ministérios da Educação (MEC), Cultura (MinC), Saúde (MS) e Defesa (MD), que participam do Programa Interministerial RNP (PI-RNP).
A RNP tem como missão promover o uso inovador de redes avançadas para integração global da comunidade acadêmica, e, com isso, seus objetivos são:

  • Melhorar a infraestrutura de redes em níveis nacional, metropolitano e local (rede de campus);
  • Atender às demandas de comunidades específicas com aplicações e serviços inovadores;
  • Promover a capacitação em tecnologias da informação e comunicação.

 

Por que a Vertigo foi chamada?

É um consenso que a morosidade no desenvolvimento e manutenção de aplicações é um dos principais problemas em plataformas de TI. Modelos de gestão tradicional de TI fortemente baseados em ITIL são notoriamente disfuncionais quando falamos em inovação.
A separação das áreas da TI em silos operacionais concebidos sem considerar a entrega de valor torna a entrega e sustentação de um novo sistema um pesadelo recorrente.
Quando fomos convocados para ajudar, encontramos um cenário bastante delicado.

  • Plataforma do SiBBr praticamente inoperante;
  • Enorme dificuldade em realizar simples manutenções e configurações;
  • Equipe desanimada devido à dificuldade de manutenção;
  • Meses de alto investimento sem o retorno esperado;
  • Equipe de infraestrutura desacreditada com a plataforma;
  • A plataforma instável com apenas um usuário;
  • Gestores com pouca esperança com relação ao lançamento da plataforma;
  • Prazo de 100 dias para que estivesse em produção sem problemas de disponibilidade.

 

Recebemos o desafio de dar suporte ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações para implantar uma plataforma global de biodiversidade utilizada por mais de 20 países. Contamos com uma parceria da Vertigo que iniciou com um diagnóstico e depois passou para a etapa de aprendizado técnico sobre a plataforma. Para, após isso, arquitetá-la em cima da solução.  afirma Bruno Silva, gestor do SiBBr pela RNP.

 

O que foi feito?

Em função do deadline inegociável de três meses, nossa equipe foi categórica em afirmar que a única chance de sucesso seria ignorar completamente os processos vigentes de gestão de TI – sob a “ditadura do ITIL”, em três meses sequer teríamos os recursos de infraestrutura disponíveis. 
Felizmente, tivemos o buy-in executivo por parte dos gestores da RNP, que deram “carta branca” para execução do plano.
fraestrutura O novo caminho – o caminho cloud native – foi mover o SiBBr para uma inde nuvem provisionada por automação (Infra as Code) e com seus módulos mantidos por práticas e ferramentas DevOps.


Problemas Identificados

– Os módulos foram instalados manualmente em dois servidores on-premises de alto poder de processamento que não conseguia se manter no ar, gerando alto custo sem o retorno mínimo esperado.
– O processo de carga de dados sempre era abortado após poucos segundos de execução, inviabilizando completamente o uso da plataforma por instituições e pesquisadores, gerando um custo sem retorno.
– Processo de atualização da plataforma totalmente manual, sem nenhum controle ou governança e sujeito a falhas constantes. Cada solução de um problema durava meses para ser identificado e resolvido.
– Ambiente exposto e com alguns módulos hackeados, colocando em risco a integridade dos dados.
– Em caso de falha de um servidor, o suporte atuava de forma lenta e ineficaz. Isso quando havia possibilidade de solução.

Solução Executada

– Todos os módulos do ALA foram conteinerizados e instalados em cluster Kubernetes gerenciado em nuvem (AWS EKS), com mais eficiência no uso de recursos dos servidores. Rapidez e fluidez para o usuário.
– A conteinerização do módulo de carga deu capacidade de processamento e estabilidade, permitindo que a equipe responsável realizasse o trabalho com mais eficiência.
– O processo de manutenção e atualização da plataforma foi controlado e automatizado através de pipelines de CI/CD. A publicação de atualização, com segurança, passou a durar apenas cinco minutos.
– O ambiente foi provisionado com segurança com cluster kubernetes instalado em Virtual Private Cloud e com Web Application Firewall.
– Em caso de falha ou comprometimento de um dos módulos do ALA, o cluster kubernetes é capaz de se auto regenerar (self-healing) e instanciar um novo e íntegro contêiner em poucos segundos.

Resultados com DevOps

Ao introduzir a cultura DevOps com a implantação e orquestração de contêineres, a RNP começou assim a sua jornada de Transformação Digital. E com isso, logo os resultados começaram a surgir:

  • Após três meses de trabalho conosco, a cultura da equipe do SiBBr foi modificada, aproximando os desenvolvedores e analistas de negócio da equipe operacional de infraestrutura;
  • O investimento na plataforma começou a ter retorno, tornando-a estável, segura, fluida e de fácil manutenção;
  • A equipe do SiBBr se tornou mais motivada e produtiva, com conhecimento de todo o ecossistema, do processo de manutenção e publicação dos módulos e seus servidores;
  • Potencial total explorado, reduzindo custos de suporte externo em outras áreas e os constantes retrabalhos;
  • O provisionamento de infraestrutura do SiBBr passou a ser feito por automações no modelo GitOps, permitindo que toda a infraestrutura possa ser levantada em minutos;
  • Na instalação anterior, era possível carregar, no máximo, 250 mil registros. Com a arquitetura pioneira em Docker com cluster kubernetes na AWS, a plataforma atualmente suporta 16 milhões de registros, o que significa um impressionante aumento de 64 vezes!
  • O SiBBr tornou-se a implantação do ALA mais eficiente e econômica em recursos do mundo e é a única baseada em kubernetes.

A infraestrutura automatizada e definida como código facilitou o processo de ajuste do modelo durante os primeiros meses de uso, favorecendo a realização de um processo de calibração fácil e sem traumas.
Os mais de 30 módulos do SiBBr são mantidos por esteiras DevOps – entregas em homologação e produção são feitas por merges de branches dos fontes.
As tecnologias e ferramentas utilizadas simplificaram todo o processo de provisionamento e deployment da infraestrutura e da plataforma na nuvem AWS, através de esteiras de automação em CI/CD e IaC (Infrastructure As a Code).
“Com a solução adequada conseguimos finalmente mostrar os milhões de registros que foram realizados ao longo destes 10 anos de trabalho, afinal possuímos várias parcerias com mais de 200 instituições. A solução aplicada na plataforma foi fundamental para mostrar todo o trabalho que estava sendo realizado.” reforça Silva.
Como as práticas de DevSecOps impactaram este projeto:

  • Automatização de processos
  • Otimização do tempo das equipes de Desenvolvimento e Operações
  • Processos estáveis de entregas contínuas em vários ambientes
  • Redução de custos e maior retorno sobre o investimento
  • Drástica redução de retrabalho
  • Mais segurança para as aplicações automatizadas
  • Módulos escaláveis, rápidos e fluidos para o usuário

Com o custo de apenas dois profissionais, que se tornaram muito proficientes, e da criação de uma infraestrutura estável, foi possível reduzir para menos da metade o valor investido anteriormente na plataforma.
O sucesso do SiBBr foi fundamental na derrubada das últimas resistências contra uma abordagem cloud native para sistemas corporativos, iniciando uma mudança cultural, que em pouco tempo, transformou completamente a forma com que soluções eram construídas. Este é o grande propósito do lighthouse projects.

Um ponto importante é a característica disruptiva deste projeto que transformou uma abordagem original baseada em VMS hospedados em datacenter para modelo de cluster de contêineres em nuvem. Outro detalhe de sucesso é rodar em contêiner algo que inicialmente não foi criado para isso, considerando a arquitetura complexa do ALA, que tem seu próprio barramento de serviços e diversos módulos em constante comunicação.
A parceria da Vertigo foi fundamental porque nos ajudou nessa missão tão crítica. Além disso, sua expertise foi crucial neste projeto pioneiro com Kubernetes na RNP. Abriu as portas para um admirável mundo novo! relembra Bruno Silva.

 

Por que adotar DevOps?

Transforma profundamente a atividade de desenvolvimento e entrega tecnológica dentro de uma empresa, gerando fluxos rápidos em trabalhos executados de maneira previsível:

  • Pipelines de Construção, Testes e Entregas: integração contínua e acelerando a entrega de aplicações.
  • Automação de Provisionamento: jornada self-service para os times de produtos.
  • Arquiteturas Cloud-Native: escalabilidade e agilidade, acelerando uma entrega de valor.
  • Consultoria de Implantação: promova mudanças de cultura de forma gradual e eficaz sem depender de grande investimento inicial.
  • Modernização de Aplicações: redução de custo e esforço de manutenção de software. 

A produtividade da TI aumenta, de forma gradual, conforme a prática adquire maturidade, reduz a taxa de erros e oferece soluções ágeis para sanar os eventuais problemas surgidos dentro de um sistema. 
Não se trata apenas de formar times mais colaborativos, mas também sobre implantar uma melhor distribuição das atribuições que empodera as equipes de projetos, dando fim aos atritos.

Vamos juntos?

Gostou dos resultados da nossa estratégia com a RNP? Nós também podemos construir um case de sucesso juntos! Conheça a nossa esteira de soluções DevOps para realizar a Transformação Cloud Native na sua empresa:
Vertigo Lighthouse: Beneficie-se de uma transformação organizacional, na prática, ao gerar aprendizados e referências para adoção em larga escala. Tudo com um projeto de ação curta e de baixo custo, bastante mensurável e sem necessidade de grandes times de desenvolvimento e operação.
Vertigo Adoption: Converta sua TI Corporativa em um acelerador de mudanças e parceira para a área de negócios. Ganhe escala, dissemine as lições aprendidas no Lighthouse e possibilite entregas contínuas mais consistentes, vencendo a inércia dos processos decisórios tradicionais.
Vertigo Sustain: Otimize as práticas Devops já estabelecidas dentro da organização e obtenha suporte e consultoria para discutir inovação. Saiba também como podemos levá-lo ao próximo nível, aplicando novas tendências e práticas Cloud Native e DevSecOps.
Para entender melhor como começar a Transformação Cloud Native em seu negócio, fale com os nossos especialistas.

Saiba como o DevOps transformou profundamente a atividade de desenvolvimento e entrega tecnológica na Rede Nacional de Pesquisa (RNP), gerando fluxos rápidos em trabalhos executados de maneira previsível.

Preencha o formulário para conversar com os nossos especialistas e saber como esses métodos podem ajudar a sua empresa chegar ao sucesso.


Author avatar
Marketing Vertigo