preloader

Anypoint Platform: conheça o API Management líder no Gartner

Se você está buscando informações sobre o MuleSoft Anypoint Platform, veio ao lugar certo. Neste artigo vamos destacar as informações mais interessantes para quem está avaliando esta ferramenta que é líder no quadrante Full Lifecycle API Management do Gartner.
Talvez você saiba, talvez não, mas a Vertigo trabalha com a MuleSoft Inc, desde 2012, possuindo grande expertise para implementar o Anypoint Platform – que é considerada a principal solução de conectividade de sistemas do mercado global.
A Vertigo consolidou-se no mercado de tecnologia como um dos principais players de System Integration e API Management do Brasil. Com base nessa experiência, escrevemos este artigo para apresentar alguns dos pontos mais interessantes que fazem os gestores de TI vibrar de empolgação quando apresentamos o Anypoint.
Portanto, leia este artigo até o final caso tenha interesse de entender quais as funcionalidades mais se destacam para os líderes de TI na hora de avaliar o MuleSoft Anypoint Platform.

O que é Anypoint Platform?

Em 2013, a MuleSoft criou o Anypoint Platform, que é uma plataforma empresarial para criação de APIs, integrações e redes de aplicativos.
A evolução da MuleSoft tem início com a solução de barramento ESB (Enterprise Service Bus), antes, exclusivamente on-premise.
Em seguida, avança para o modelo em cloud, com a criação do CloudHub, cujo diferencial é permitir que o ESB seja gerenciado em cloud.
Clique aqui para saber tudo sobre ESB
Por fim, cria o Anypoint Platform: uma ferramenta bem mais complexa, cujas funções são voltadas a atender as APIs (desde a criação até o gerenciamento do ciclo de vida) e suas integrações. Esta ferramenta conta com a vantagem de fazer integrações on-premise, na nuvem ou de forma híbrida.
Um dos diferenciais do Anypoint é possuir um design amigável e intuitivo, mesmo sendo uma das ferramentas de API Management mais completas do mercado.
A sua completude e robustez faz com que a ferramenta seja indicada para empresas com alta complexidade em termos de fluxos de integrações e APIs.
Conhecer as funcionalidades da ferramenta e entender como aplicá-la no dia a dia do seu negócio é crucial para aproveitar todas os benefícios da ferramenta.

Os benefícios do Anypoint Platform

O Anypoint Platform, por ser uma ferramenta completa, oferece soluções que resolvem problemas da maioria das organizações. Por conta disso, oferece uma série de possibilidades que no fim, convergem para concretizar o processo de transformação digital das empresas com uma tecnologia de ponta.
Para desenvolvedores, em especial, o Anypoint Platform possui muitas funcionalidades pensadas especificamente para melhorar a sua rotina de trabalho, melhorando sua produtividade.
Dentre as features do Anypoint, fizemos um apanhado de algumas das funções mais importantes da plataforma, explicaremos seus conceitos e mostrando-as na prática.
Confira agora as 10 principais funções do MuleSoft Anypoint Platform:

1. Anypoint Design Center

O Anypoint Design Center oferece um conjunto abrangente de ferramentas de desenvolvimento que facilitam a criação, o teste e a implementação de uma API.
Com Design Center, é possível: projetar, documentar automaticamente, fazer simulações, testar e validar especificações da API baseadas em RAML e OAS – OpenAPI Specification e criar fluxos de integração simples em um ambiente amigável e na nuvem.

Além disso, é possível conectar sistemas, integrar aplicativos e implementar APIs graficamente ou com código dentro do Anypoint Studio de forma robusta, em um ambiente de desenvolvimento local, que é integrado e unificado para o Anypoint Platform.

2. API-Led Connectivity

Por definição a conectividade conduzida por API é uma maneira metódica de conectar dados a aplicativos por meio de APIs reutilizáveis e específicas. Essas APIs são desenvolvidas para desempenhar uma função específica – desbloquear dados de sistemas, compor dados em processos ou fornecer uma experiência.
O Anypoint Platform é a ferramenta perfeita para a adoção do API-Led Connectivity em uma organização, pois seus componentes são voltados para esse tipo de desenvolvimento, feito em camadas.

3. Anypoint Exchange

O Anypoint Exchange é a loja de recursos para o Anypoint Platform. Nessa loja estão disponíveis: APIs, conectores, templates e exemplos de códigos prontos para serem usados. Com isto, é possível descobrir e reutilizar centenas de recursos, selecionar documentação e exemplos, gerenciar o acesso de desenvolvedores e impulsionar a adoção e a colaboração de seus recursos.
Outros recursos pertinentes ao Anypoint Exchange permitem que os usuários:

  • Criem portais para compartilhar APIs com usuários internos, externos ou selecionados.
  • Testem especificações da API sem implementação usando um serviço simulado.
  • Gerem tutoriais interativos com o “API Notebook”, ambiente onde os desenvolvedores fazem os rascunhos da API.

4. API Manager

Com o API Manager os responsáveis pela manutenção da API conseguem gerenciá-la de forma unificada, fazer proxy, controlar versões e construir a segurança das APIs. Outra função do API Manager é criar regras de acesso ou utilizar regras de acesso preexistentes com objetivo de criar uma camada de segurança para as APIs dentro Anypoint Platform.

5. Anypoint Studio

O objetivo do Anypoint Studio é acelerar a produtividade do desenvolvedor com um único ambiente gráfico para integração com sistemas SaaS e on-premises, implementação de APIs e testes. Implante seus aplicativos on-premises ou na nuvem com o mecanismo de runtime do MuleSoft.
Outras funções do Anypoint Studio são:

  • Construir integrações graficamente ou em XML
  • Aprimorar suas integrações com conectores, modelos e exemplos pré-criados
  • Depurar com tratamento de erros durante o desenvolvimento ou tratamento de exceções Java e XML
  • Mapear e transformar dados facilmente
  • Integrar o teste ao seu processo de CI / CD existente usando o MUnit
  • Implantar facilmente APIs e integrações construídas no Studio na nuvem ou no local

 

6. Conectores e Transform Message

Os conectores Anypoint facilitam a integração com APIs próprias ou de terceiros, além de trabalhar com todos os protocolos de integração padrão, fornecendo meios para acessar serviços e recursos da web. Outra função é conseguir usar os conectores prontos nos fluxos do Mule para enviar e receber dados através de um protocolo ou usando uma API.
Dentre os conectores que integram o Anypoint Platform, o Transform Message se destaca por ser o único que faz a transformação dos dados de entrada, que recebe com maior sofisticação. Deste modo, é possível tanto escrever explicitamente em linguagem DataWeave, quanto usar a interface do usuário para construí-la visualmente, arrastando e soltando elementos. Desta forma, a ferramenta permite trabalhar com duas representações da mesma transformação e quaisquer alterações feitas a uma são correspondidas em tempo real pela outra. Incrível, não é?

7. MUnit

O MUnit é a estrutura de testes de aplicativos da MuleSoft, com ele é possível fazer testes de unidade e integrados automaticamente. Os dados simulados e ativos podem ser aproveitados durante a execução do teste e utilizados no pipeline de CI/CD, com suporte para: Jenkins, Maven, Git, entre outros.

8. Integração contínua e gerenciamento de código

O Anypoint proporciona ao desenvolvedor fazer integrações contínuas e gerenciamento do código fonte. Para as empresas que já estão em fase de implantação de DevOps, esta característica é um grande facilitador do modelo.
A integração contínua é uma prática de desenvolvimento de software de DevOps em que os desenvolvedores, com frequência, juntam suas alterações de código em um repositório central.
Depois disso, criações e testes são executados. Geralmente, a integração contínua se refere ao estágio de criação ou integração do processo de lançamento de software, além de originar um componente de automação (ex.: uma CI ou serviço de criação) e um componente cultural (ex.: aprender a integrar com frequência).
Os principais objetivos da integração contínua são encontrar e investigar bugs mais rapidamente, melhorar a qualidade do software e reduzir o tempo que leva para validar e lançar novas atualizações de software.
O controle do código-fonte (ou controle de versões) é a prática de monitoramento e gerenciamento de alterações no código. Os sistemas de Source control management (SCM – Gerenciamento de controle do código-fonte) disponibilizam um histórico de execuções de desenvolvimento de código, assim como ajudam a resolver conflitos durante a mesclagem de contribuições de várias origens. Tudo isto é possível através do Anypoint.

9. Anypoint MQ

É um serviço multi-tenant de mensagens na nuvem, infinitamente escalonáveis. Suporta cenários avançados de mensagens assíncronas, como filas e pub / sub. O Anypoint MQ também pode suportar mensagens na memória, registro de data e hora e lógica de não-repúdio construída em aplicativos Mule.

10. Anypoint Runtime Fabric (on premise, cloud e híbrido)

É um serviço de container que orquestra e automatiza a implantação de tempo de execução do Mule no Microsoft Azure, Amazon Web Services e data centers. Obtenha os benefícios de uma solução em nuvem local com isolamento automatizado de aplicativos, implantações sem tempo de inatividade e escalabilidade horizontal.

Como implantar o Anypoint Platform?

É possível que nesta altura o leitor esteja convencido dos benefícios de obter o Anypoint Platform, mas ainda tenha dúvidas sobre como se dará o processo de implementação. É natural que isto ocorra quando as empresas estão atravessando as etapas iniciais da transformação digital.
Neste sentido, contar com uma consultoria especializada conduz o processo de transformação digital de forma segura e assertiva e ainda diminui a curva de aprendizado da equipe.
Com a expertise na plataforma da Mulesoft, a Vertigo se tornou a empresa com mais cases de sucesso de implementação no Brasil.
Quer uma demonstração ao vivo da ferramenta? Preencha o formulário abaixo e um especialista logo fará contato.


Author avatar
Vertigo