5 mudanças necessárias para adotar DevOps na sua empresa

5-mudancas-necessarias-para-adotar-devops-na-sua-empresa

DevOps veio para unir a tradição com a inovação, de forma a contribuir com a evolução tecnológica dos negócios, dando mais agilidade para eles.

Para que DevOps seja adotado em uma empresa, é necessário que haja uma mudança de cultura organizacional. Isso porque a prática vem para simplificar e automatizar processos de desenvolvimento o máximo possível.

Continue lendo esse artigo e descubra quais são as cinco mudanças necessárias para adotar DevOps na sua empresa. Boa leitura!

Mudança de cultura e de projeto

É necessário haver uma mudança no modelo de cultura. Com DevOps, os desenvolvedores ganham mais autonomia para cuidar de suas aplicações e de seus processos. Ferramentas como contêineres e testes automatizados dão essa liberdade maior, enquanto também garantem a qualidade e previsibilidade de comportamento do software.

Já a mudança em projeto é necessária porque a adoção de DevOps implica em maior responsabilidade e autonomia para o projeto, trazendo para o escopo de suas decisões questões que outrora não lhe pertenciam. Além do método de desenvolvimento ser ágil, há uma constante busca pela automação de tarefas em pipelines de integração e entrega contínuas.

Padronização de ambientes, heterogeneidade de tecnologias

A prática DevOps demanda uma constante busca por automação e métricas mais eficientes que métodos baseados em documentação formal e relatórios. A intenção é que desenvolvedores e profissionais de infraestrutura troquem processos formais e morosos, focados em transferência de culpa (blame shifting), por um novo conjunto de ferramentas e processos que diminuam atritos de entregas.

Com esse alinhamento de procedimentos, os ambientes de TI tendem a funcionar de maneira mais harmônica, com acompanhamento de processos e um controle maior sobre tudo.  Assim, as áreas ficam com uma autonomia maior e são organizadas de forma a responder mais rápido aos problemas, mudanças e incidentes.

Via de regra, em DevOps, há uma busca por uma conjugação de ambientes e ferramentas que padronize um modelo de autossuficiência para os projetos, mas, ao mesmo tempo, aceitando uma inerente heterogeneidade de tecnologias e linguagens de programação.

Modelo de serviço autossuficiente

Uma das principais características do DevOps é a grande autonomia para as equipes de desenvolvimento e menor fricção com equipes de operações/infraestrutura. Diversas tarefas, que outrora eram atribuições de operações, passam a ser responsabilidade trivial das próprias equipes de projeto, simplesmente deixando de existir (ex: provisionamento formal de recursos). Essa “harmonização”, entre esses dois expoentes da empresa, só é possível pela aplicação concomitante de novas ferramentas, processos e cultura.

Dessa forma, empresas que trabalham em silos, com equipes especializadas e isoladas, devem se adaptar a essa nova realidade. Esse modelo antigo está deixando de existir.

A ideia é que o modelo DevOps seja ágil e promova entregas frequentes, permitindo que usuários tenham contato com novas funcionalidades e tragam feedback para a equipe. Qualquer necessidade da equipe deve ser atendida de pronto, em ambiente automatizado, que provisione o que for solicitado prontamente.

Equipes multidisciplinares

Em um contexto no qual os silos operacionais não são mais viáveis, o que realmente importa é focar na entrega de valor da TI.

E para que isso ocorra, times multidisciplinares precisam estar envolvidos.  Essa realidade transforma as estruturas organizacionais, altera hierarquias e oferece um padrão muito mais colaborativo de atuação.

Além disso, o trabalho de uma equipe integrada é bem diferente quando comparado com o de uma equipe que trabalha isolada. Isso porque as equipes multidisciplinares são encarregadas pelo desenvolvimento, manutenção e operação do software para cada linha de serviço. Lembre-se que duas das características do DevOps são agilidade e automação. Uma equipe multidisciplinar é capaz de criar uma esteira de construção e testes com excelência, por exemplo.

Quadro de gestão e métricas

Por último, mas não menos importante, sua empresa também vai precisar de um quadro de gestão.  É necessário que ele tenha integração e seja flexível para que consiga gerenciar bem a metodologia DevOps.

Esse quadro deve ser criado de forma a usar ferramentas automatizadas, processos determinados por softwares e um modelo com base no consumo.

É esse quadro que vai possibilitar acompanhar que os profissionais estão atendendo necessidades dos usuários de negócios com entregas constantes. Dessa forma, enquanto antes eram necessários 18 meses para implementar e produzir um sistema, agora serão quatro ou seis semanas. Este quadro permite que gestores acompanhem esta evolução e tracem novos patamares de normalidade para os projetos.

Assim, gerenciar DevOps trará uma maior mensuração de resultados, visto que haverá uma maior definição de indicadores, como por exemplo:

  • Métricas de qualidade de entrega
  • Métricas de disponibilidade das aplicações
  • Métricas de performance das aplicações
  • Métricas de detecção e resolução de erros

Agora você já conhece quais são as mudanças necessárias para adotar DevOps na sua empresa. Temos muitos conteúdos sobre esse assunto. Você pode ter acesso a todos eles, diretamente em seu e-mail assinando nossa newsletter e personalizando seu conteúdo.

Até mais