Posts Tagged ‘API mobile’

API e Internet das Coisas, entenda essa relação entre esses temas.

A_Internet_das_Coisas_MI_Marketing_e_Internet

A Internet das Coisas trabalha com um conceito simples e genial: tudo está sempre conectado e pode ser controlado, ou gerenciado e analisado, através de computadores ou dispositivos móveis como smartphones e tablets. Lâmpadas inteligentes, casas completamente automatizadas e até mesmo fábricas conectadas podem ser gerenciadas à distância. O futuro parece promissor e as tecnologias já disponíveis estão cada vez mais baratas.

Mas para que a Internet das Coisas seja possível e para que possamos ter essa infinidade de objetos inteligentes, é necessário um bom desenvolvimento de software que transforme essas ideias em realidade. Para aumentar as possibilidades, criar programas que sejam facilmente expansíveis e consigam se encaixar com novas demandas é cada vez mais essencial, e isso pode ser feito através de APIs.

O que torna a comunicação IoT diferente da tradicional é a parte “internet” dentro dessa equação. Isso faz com que a Internet das coisas seja mais complexa a partir do ponto de vista de negócio e técnico também. API tornar a Internet das coisas mais simples e desempenha um papel crucial na aceleração da adoção dessa nova tecnologia. Nesse post você vai entender como o uso de APIs é a chave para trabalhar com internet das coisas, e as possibilidades que essa relação traz para o seu negócio. Acompanhe!

O primeiro passo para entrar no mundo da Internet das Coisas

Essa iniciativa requer um grande número de desenvolvedores de software para programar dispositivos e construir experiências conectadas usando dados que fluem de sensores para sensores. Com os primeiros objetos conectados tendo preços cada vez menores, o investimento em casas inteligentes que antes era altíssimo se torna acessível, e consumidores estão buscando soluções que apoiem esse cenário. Por isso muitas empresas percebem a importância de investir em APIs: elas permitem que essa futura integração seja possível e fazem com que negócios deem os primeiros passos – a abram futuras possibilidades – no mundo da Internet das Coisas.

Esse novo mercado não planeja ser uma pequena fatia dos investimentos por muito tempo: de acordo com uma pesquisa da IDC (International Data Corporation) ele deve ultrapassar o patamar de US$ 7 trilhões em 2020. Assim, negócios estão buscando acompanhar essa tendência preparando suas plataformas para que consigam entender melhor as diferentes possibilidades e sair na frente nesse desenvolvimento. 

Um ambiente propício para a Internet das Coisas

Com o investimento inicial em APIs que permitem a conectividade de diversos objetos e sistemas, empresas conseguem criar um ambiente pronto para que a Internet das Coisas seja mais aproveitada e que diversos desafios atuais possam ser superados. O momento atual incentiva desenvolvedores a experimentar esse meio e entender melhor como podem tomar proveito das suas capacidades, para que assim seja possível criar soluções inteligentes e lucrativas a partir dessas plataformas. 

Esse ambiente deve crescer nos próximos anos para conseguir suportar os bilhões de objetos e aparelhos que devem estar conectados até o fim dessa década. Para isso, o uso de APIs facilita a criação de interfaces que permitam conexões entre uma rede com transferência intensa de dados e os diversos receptores que serão necessários. Algumas plataformas de API management (Mulesoft, WSO2, Redhat e outras),  já trabalham com opções em Cloud, a tendência é que o crescimento seja constante.

O futuro da Internet das Coisas

 Conclusão

A internet agora atingiu um patamar em que empreendedores conseguem utilizar diversas soluções inteligentes para seus negócios de forma simples: SaaS e cloud computing são cada vez mais comuns, dispositivos móveis estão mudando a forma como as pessoas interagem com serviços e marcas. As maneiras tradicionais de fazer parceria também então mudando, graças as APIs. As vantagens sempre estiveram com aqueles que conseguiram buscar soluções rápidas e eficientes, antecipando as necessidades do seu público, e com a Internet das Coisas não é diferente. 

Agora é o momento de investir e preparar o ambiente para as novas tecnologias que estão surgindo, criar APIs para as suas plataformas se manterem otimizadas, e deixar dispositivos prontos para que eles sejam pioneiros nessa etapa da revolução tecnológica.

Está começando a criar uma estratégia de API e já está pensando em Internet das Coisas? Fale conosco, podemos conversar sobre o seu projeto.

Gostou do post? Siga a nossa Company Page no LinkedIn e se cadastre no Blog para receber mais conteúdo desse tipo!

Leia mais


[Parte 1] A Economia das APIs já está aqui! Você está pronto?

api_inter_pro Vamos falar sobre a mágica que acontece no Mundo das APIs, em duas partes. Ao terminar, você verá que pensar em uma API é mais comum do que que se imagina. E pensar no mundo digital sem pensar em API pode não ser uma boa solução. Empresas que se desenvolveram originalmente no mundo digital usufruem desde cedo das vantagens que a tecnologia oferece para o crescimento do negócio, mas esse não é um privilégio só delas. A Economia das APIs (O que é API?) marca um universo de oportunidades para centenas de organizações nos mais variados segmentos de atuação. Redes sociais em alta, mudanças de hábitos dos usuários e indivíduos cada vez mais conectados através de dispositivos móveis compõem um cenário com o qual as empresas precisam aprender a lidar. Nesse sentido, as APIs podem ser verdadeiros motores de crescimento, fazendo com que a empresa desenvolva novos canais, amplie o seu alcance e difunda mais a sua marca. A pergunta é: A sua empresa está pronta para isso?

Um pouco de História

Uma API é uma ponte de comunicação entre dois ou mais sistemas, em resumo. Essa necessidade por comunicação é nossa, do ser humano, e aos poucos passamos isso para as máquinas. As máquinas vem sendo aprimoradas desde quando foram inventadas, elas eram repetitivas e mecânicas. Com o passar do tempo receberam cada vez mais funções, mas não possuiam “Inteligência” por trás dos seus sistemas, não como vemos hoje. O inglês Alan Turing, é o grande responsável por desenvolver uma máquina capaz de fazer o trabalho de inteligência que antes só seria capaz de ser feito por humanos. Sim, ele foi responsável por criar o primeiro computador. Para aprender um pouco mais sobre esse gênio e entender o proceso de criação do computador, indicamos o filme “Jogo da Imitação”, clique e veja trailer:

APIs por toda parte

O uso de APIs (entenda o que é uma API) é mais comum do que se imagina e elas estão presentes nas ações mais corriqueiras dos usuários. Não são evidentes porque não atuam de uma forma visível quando você visita um site ou opera um software, mas são suas funções que permitem a interação entre os aplicativos, disponibilizando o acesso a algum recurso ou simplesmente viabilizando informações. Quando se ingressa num site de um hotel, por exemplo, e lá se vê um mapa do Google com a localização do lugar, é uma API que está por trás disso. Quando se deseja calcular o valor do frete de um produto numa loja online, há uma API dos Correios ali também. Importante deixar que existem APIs tanto para o mundo B2B como para o mundo B2C. Embora grande parte dos exemplos envolva nomes de grandes empresas, o uso de APIs traz vantagens competitivas reais e diferenciadas que estão disponíveis a qualquer organização que esteja preparada para pôr isso em prática.

Potencial para gerar valor

Sabemos que os dados são abundantes hoje em dia, mas é a combinação deles que tem o poder surpreendente de gerar valor para o negócio. Criar uma API significa disponibilizar dados para que outros desenvolvedores elaborem produtos associados ao serviço da empresa. Quando isso é pensado no atual contexto, em que as pessoas consomem avidamente os mais diversos aplicativos — porque já perceberam que esses programas facilitam a vida —, fica fácil visualizar o potencial de alcance que a marca pode ter. Os aplicativos comunicam-se uns com os outros de maneira fluida, sem que o usuário se dê conta ou, em alguns casos, possa intervir. A possibilidade de conectividade entre diversos sistemas ou aplicativos por meio de APIs é o que marca a inteligência dessa interação entre interfaces. E os usuários querem interatividade, todos queremos! Alguns exemplos de APIs que utilizamos todos os dias:
  • APIs que fazem parte das funcionalidades de um website, tipo o Decolar;
  • APIs que são utilizadas em softwares online (SaaS);
  • APIs suportam as aplicações móveis (Apps Mobile);
  • APIs e Internet das Coisas tem relação direta;

Requisito para se manter no mercado

Por serem geridos com o apoio em ferramentas de software, é natural que os novos modelos de negócio busquem cada vez mais alternativas dinâmicas e inteligentes, também apoiadas em tecnologia, para fazer a empresa prosperar. Aos poucos, o que era um diferencial vai se transformando em um requisito para se manter no mercado, daí a importância de perceber como a Economia de APIs vem ganhando espaço e que não se pode simplesmente ignorar essas transformações. Desenvolver uma API vai além de apenas marcar presença na esfera virtual: trata-se de uma estratégia para alcançar objetivos estabelecidos pela empresa e, assim como ocorre antes de pensar qualquer estratégia que preze pela disciplina, é preciso considerar um diagnóstico realista do mercado e definir com cuidado quais objetivos a empresa pretende alcançar. Gerenciar a API é tão importante quanto desenvolvê-la, afinal, abandonar a iniciativa não vai contribuir para a conquista de bons resultados. O gerenciamento é uma maneira de descobrir para onde a empresa deve ou não direcionar esforços, articulando e alinhando melhor a estratégia de acordo com as necessidades do negócio.

Conclusão

Com o aumento no uso de dispositivos móveis e de aplicativos, a Economia das APIs anda bastante desenvolvida e ainda existe muita coisa para ser feita nessa área! É claro que o segmento de atuação e modelo de negócio da empresa vão influenciar a estratégia que a empresa pode desenvolver, mas preparar-se o quanto antes para lidar com essas novas perspectivas é fundamental. Fique atento, no próximo post desse tema, vamos falar sobre como funciona uma API de forma mais técnica. E então? Ainda acha que Economia das APIs é um assunto do futuro ou exclusivo de grandes empresas? Compartilhe suas dúvidas conosco, mande o seu comentário e entre em contato conosco!

Leia mais


Canais

Assine a nossa newsletter:

   


Av. Rio Branco, 151, sala 1002 – Centro
Rio de Janeiro, RJ - Brasil
CEP 20040-911
+55 (21) 2232-0123