Como que os beacons estão revolucionando o comércio online

Como que os beacons estão revolucionando o comércio online.

O conceito de IoT está redesenhando a maneira como nós interagimos com sistemas, pessoas e “coisas”. Diversos setores estão sendo impactados por essas mudanças, e um setor que está sofrendo muito impacto, no cenário de Internet das coisas, é o de compras online e comércio eletrônico. Dispositivos conectados, desde carros (Conect Car) até eletrodomésticos inteligentes, estão transformando objetos inanimados em potenciais canais de vendas e comunicação. A geladeira está sem leite? Não se preocupe – uma geladeira inteligente pode fazer um pedido através da internet e gerenciar as suas compras e isso já é uma realidade. No artigo de hoje, confira como a Internet das Coisas está revolucionando o varejo. Acompanhe:

Leia mais


5 principais desafios de TI para 2017

5 principais desafios de TI para 2016 Pensar o futuro da TI é um desafio constante de gestores em todo o mundo, estar conectado às principais tendências com o potencial de mudar a rotina desses profissionais e revolucionar processos internos é obrigatório se a sua empresa deseja se manter competitiva. Assim, listamos os principais desafios de TI que prometem atingir o ano de 2016/2017 para você ficar de olho.

Desenvolver produtos que integrem os wearables à rotina de seus usuários

Leia mais


API e Internet das Coisas, entenda essa relação entre esses temas.

A_Internet_das_Coisas_MI_Marketing_e_Internet

A Internet das Coisas trabalha com um conceito simples e genial: tudo está sempre conectado e pode ser controlado, ou gerenciado e analisado, através de computadores ou dispositivos móveis como smartphones e tablets. Lâmpadas inteligentes, casas completamente automatizadas e até mesmo fábricas conectadas podem ser gerenciadas à distância. O futuro parece promissor e as tecnologias já disponíveis estão cada vez mais baratas.

Mas para que a Internet das Coisas seja possível e para que possamos ter essa infinidade de objetos inteligentes, é necessário um bom desenvolvimento de software que transforme essas ideias em realidade. Para aumentar as possibilidades, criar programas que sejam facilmente expansíveis e consigam se encaixar com novas demandas é cada vez mais essencial, e isso pode ser feito através de APIs.

O que torna a comunicação IoT diferente da tradicional é a parte “internet” dentro dessa equação. Isso faz com que a Internet das coisas seja mais complexa a partir do ponto de vista de negócio e técnico também. API tornar a Internet das coisas mais simples e desempenha um papel crucial na aceleração da adoção dessa nova tecnologia. Nesse post você vai entender como o uso de APIs é a chave para trabalhar com internet das coisas, e as possibilidades que essa relação traz para o seu negócio. Acompanhe!

O primeiro passo para entrar no mundo da Internet das Coisas

Essa iniciativa requer um grande número de desenvolvedores de software para programar dispositivos e construir experiências conectadas usando dados que fluem de sensores para sensores. Com os primeiros objetos conectados tendo preços cada vez menores, o investimento em casas inteligentes que antes era altíssimo se torna acessível, e consumidores estão buscando soluções que apoiem esse cenário. Por isso muitas empresas percebem a importância de investir em APIs: elas permitem que essa futura integração seja possível e fazem com que negócios deem os primeiros passos – a abram futuras possibilidades – no mundo da Internet das Coisas.

Esse novo mercado não planeja ser uma pequena fatia dos investimentos por muito tempo: de acordo com uma pesquisa da IDC (International Data Corporation) ele deve ultrapassar o patamar de US$ 7 trilhões em 2020. Assim, negócios estão buscando acompanhar essa tendência preparando suas plataformas para que consigam entender melhor as diferentes possibilidades e sair na frente nesse desenvolvimento. 

Um ambiente propício para a Internet das Coisas

Com o investimento inicial em APIs que permitem a conectividade de diversos objetos e sistemas, empresas conseguem criar um ambiente pronto para que a Internet das Coisas seja mais aproveitada e que diversos desafios atuais possam ser superados. O momento atual incentiva desenvolvedores a experimentar esse meio e entender melhor como podem tomar proveito das suas capacidades, para que assim seja possível criar soluções inteligentes e lucrativas a partir dessas plataformas. 

Esse ambiente deve crescer nos próximos anos para conseguir suportar os bilhões de objetos e aparelhos que devem estar conectados até o fim dessa década. Para isso, o uso de APIs facilita a criação de interfaces que permitam conexões entre uma rede com transferência intensa de dados e os diversos receptores que serão necessários. Algumas plataformas de API management (Mulesoft, WSO2, Redhat e outras),  já trabalham com opções em Cloud, a tendência é que o crescimento seja constante.

O futuro da Internet das Coisas

 Conclusão

A internet agora atingiu um patamar em que empreendedores conseguem utilizar diversas soluções inteligentes para seus negócios de forma simples: SaaS e cloud computing são cada vez mais comuns, dispositivos móveis estão mudando a forma como as pessoas interagem com serviços e marcas. As maneiras tradicionais de fazer parceria também então mudando, graças as APIs. As vantagens sempre estiveram com aqueles que conseguiram buscar soluções rápidas e eficientes, antecipando as necessidades do seu público, e com a Internet das Coisas não é diferente. 

Agora é o momento de investir e preparar o ambiente para as novas tecnologias que estão surgindo, criar APIs para as suas plataformas se manterem otimizadas, e deixar dispositivos prontos para que eles sejam pioneiros nessa etapa da revolução tecnológica.

Está começando a criar uma estratégia de API e já está pensando em Internet das Coisas? Fale conosco, podemos conversar sobre o seu projeto.

Gostou do post? Siga a nossa Company Page no LinkedIn e se cadastre no Blog para receber mais conteúdo desse tipo!

Leia mais


O que você precisa saber sobre Saas?

O que você precisa saber sobre Saas

Mesmo que a sigla SaaS não seja muito familiar para você, é bem possível que já tenha usado algum serviço dessa natureza — se sua empresa usa Office 365, Google Apps, Salesforce, Dropbox ou algo nessa linha, você já tem experiência com o modelo. SaaS é a sigla para Software as a Service (em livre tradução, software como serviço), e refere-se a softwares que, hospedados na nuvem, são oferecidos por provedores em modalidade de aluguel ou assinatura. Isso significa, em outras palavras, que a empresa não precisa mais comprar e instalar um software no computador: basta acessar a URL do serviço através de web browsers e pronto! Tudo o que precisa ter para isso é conexão à internet.

Assim, o serviço torna-se disponível através de qualquer dispositivo, do desktop ao smartphone — bastando estar online — e os custos com hardware e infraestrutura de TI ficam muito menores. Isso permite construir e oferecer serviços (desde CRM a sistemas de gestão empresarial) bem mais dinâmicos, com manutenção e atualizações mais rápidas, e garante maior satisfação ao cliente final com menos trabalho para o time de desenvolvedores. Além disso, a precificação é diferente, já que a empresa não precisa mais pagar por uma licença ao comprar um pacote completo, mas assina o serviço e tem a liberdade de começar (e deixar) de pagar quando achar conveniente.

Neste post, explicaremos melhor como funciona o SaaS e por que essa modalidade deve estar no radar de toda empresa que busca inovar e oferecer serviços de forma ágil e de boa qualidade:

Por que o SaaS é um bom negócio para a sua empresa?

Manutenção e inovação

Como a infraestrutura encontra-se toda concentrada na nuvem, fazer upgrades torna-se muito mais simples. Ao poder atualizar o software para todos os usuários ao mesmo tempo, acaba a necessidade de lidar com a manutenção de versões mais antigas e o feedback é mais imediato, fazendo com que as melhorias possam ser feitas mais rápido e oferecendo uma melhor experiência de uso ao cliente final.

Simples e escalável

As condições de infraestrutura oferecidas por servidores na nuvem tornam o negócio escalável tanto pra o usuário quanto para a empresa, que pode usar MVPs para validar ideias e desenvolver novos produtos e serviços. Além de não requerer investimentos muito grandes em hardware, o SaaS não tem custos de instalação para o usuário, deixando o time de desenvolvimento com mais tempo para desenvolver e fazer upgrades no produto.

Baixo custo

Essa talvez seja a maior vantagem do SaaS e o motivo pelo qual ele tem sido utilizado com muita frequência por startups e empresas de TI como alternativa para o desenvolvimento de novos produtos e serviços. É muito mais simples e barato inovar com um software oferecido como serviço porque não há necessidade de investimentos de capital muito altos para desenvolvimento e manutenção. Esses custos menores tornam o SaaS um modelo muito mais competitivo.

Relacionamento com o usuário

Por ser um serviço mais dinâmico, o SaaS precisa desenvolver diferenciais competitivos que conquistem e mantenham os usuários utilizando-o por um período muito maior. Como as empresas podem investir mais tempo e esforço para garantir uma boa experiência ao usuário, o resultado é um serviço bem prestado e uma fidelização maior dos clientes.

Deu para entender melhor as vantagens do modelo SaaS? Está criando algum projeto que utilize Saas e quer ajuda de um especialista? Entre em contato conos da Vertigo Tecnologia, podemos te orientar nessa escolha! Ainda tem dúvidas, escreva ela aqui nos comentários e vamos conversar! Aproveite para assinar a nossa newsletter, assim você não  vai perder nenhuma dica e novidade aqui do blog!

Leia mais


5 vantagens de usar software open source

5 benefícios de software open source para o seu negócio Conforme o mundo dos negócios e as organizações governamentais se curvam à filosofia do open source, começa a ficar claro que as vantagens de adotar esse conceito não se restringem aos preços — e depois de ler este texto, você provavelmente se perguntará por que sua empresa ainda não “saiu do automático” para adotar essa solução. Diferente do que pensa o senso comum, o open source é uma filosofia alternativa de negócios e não apenas a disponibilização de softwares gratuitos. É importante ressaltar que o código do programa pode ser livre, mas não necessariamente gratuito. Conheça 5 vantagens de usar o open source na sua vida profissional.

Benefícios do open source no seu negócio

 

1 – Mais confiabilidade

Na aquisição de softwares de código fechado, tudo o que o cliente tem são as promessas dos fornecedores sobre o alto nível de segurança que envolve a aplicação. Não há, entretanto, como ter certeza de nada. Por outro lado, se ele tiver instalado em sua máquina um software open source, é possível conferir as linhas codificadas, detalhes da API (interface entre aplicativo e programação) e, assim, ter uma certeza maior do nível de confiabilidade do produto, afinal você saberá para onde as suas informações estão indo.

2 – Maior Interoperabilidade

Por se tratarem de produtos de empresas diferentes (muitas vezes, concorrentes), os softwares proprietários costumam ser pouco flexíveis na sua interação e compatibilidade com outras aplicações. Assim, quem valoriza a interoperabilidade de um software com computadores, sistemas e usuários, certamente se adaptará facilmente às vantagens do open source Mindset. Quando se usa um software open source, a liberdade para integrar  com outras sistemas ERP (SAP, Oracle, IBM e outros) e bancos de dados é maior.

3 – Fontes de suporte muito mais extensas

Nesse quesito, o open source software dá goleada em qualquer software proprietário: são milhares de comunidades de fãs da filosofia do código aberto, debatendo, oferecendo sugestões e auxiliando novos usuários na melhoria de sua experiência de usuário com os mais diversos softwares open source. O Linux é um exemplo de sistema de código aberto que conta com uma infinidade de documentações de excelente qualidade (linhas de programação, APIs, etc.). Tudo de graça e espalhado pela web.

4 – Liberdade de personalização

Embora o conceito de open source envolva manter a autoria do código fonte original, de posse dele é possível desenvolver novas aplicações que se adequem melhor às necessidades da sua empresa. A personalização do software acontece de forma mais rápida.

5 – Redução do Custo Total de Propriedade (TCO)

Na grande maioria dos casos, podemos afirma que o Open Source é mais barato do que o software proprietário, mas que queremos nesse post é mostrar a você que as vantagens de adotar o open source em seu negócio são inúmeras e que elas vão muito além do preço! Entendeu por que as empresas estão aderindo cada vez mais às políticas de open source? Nós da Vertigo Tecnologia usamos bastante soluções open souce! Ainda tem dúvidas sobre o assunto ou quer falar sobre alguma coisa? Deixe o seu comentário aqui no blog!

Leia mais


Chegamos e temos muito para compartilhar.

Esse é o nosso post inaugural e estou muito feliz em ter você como nosso leitor. Muito obrigado mesmo! Nesse primeiro post tenho dois assuntos para tratar: 1) Fizemos 16 anos! Não é mole não; 2) Vamos contar sobre quais assuntos você lerá no nosso blog. Nascemos em 1999 e hoje, em 2015, chegamos aos 16 anos! Temos muito para compartilhar e para aprender também. Nesse tempo, já trabalhamos para clientes de todos os tamanhos e de vários segmentos. São 16 anos de história, trabalho, dedicação, pessoas, projetos e amigos. E já que resolvemos contar o que já fizemos nesse período, vamos utilizar o nosso blog como ponto de contato. Não é nossa pretensão cunhar novos conceitos acadêmicos aqui, e sim ajudar pessoas que estão com dúvidas sobre tecnologia aplicada ao mundo dos negócios. Queremos ajudar pessoas a resolver seus problemas de hoje, de agora! Compartilhar boas ideias faz parte da Vertigo, fazemos isso com os nossos clientes e agora vamos fazer isso com você também! Mas, afinal, vamos falar sobre o que? Nosso foco será em soluções de TI. Sendo mais específico, vamos falar de forma clara e objetiva sobre como atingir objetivos de negócio utilizando a TI. E para isso vamos contar como entregamos tais soluções através de Portais, Intranet, Integração de sistemas, API, SOA, BPM e Mobile. Temos muita experiência prática oriunda de projetos e consultorias em todas essas linhas e aqui vão alguns dos nossos clientes:
Clientes Vertigo: Ipiranga, Inbev, Prefeitura do Rio, Petrobras, B2W, Icatu Seguros, Casa da Moeda, Banco do Brasil, Tim, Elsevier

Clientes Vertigo

Em cada cliente tivemos um projeto e um novo aprendizado que podemos compartilhar, é isso que queremos. Resumindo: Vamos conversar sobre o que já fizemos, como fazemos e o que indicamos fazer. No dia 17/07, foi a nossa comemoração de 16 anos de Vertigo. Veja aqui um pouquinho de nossa festa de comemoração. Só alegria!

Leia mais


Canais

Assine a nossa newsletter:

   


Av. Rio Branco, 151, sala 1002 – Centro
Rio de Janeiro, RJ - Brasil
CEP 20040-911
+55 (21) 2232-0123