Como criar a visão unificada do cliente?

mulesoft-infographic_2   Vivemos em um mundo corrido, onde cada vez mais informações são solicitadas e somos obrigados a conhecer ainda mais o nosso cliente. É por esse motivo que temos que ter dados sobre tudo, mas nem sempre dados geram informação. Como transformar dados em informação? Nesse post, vamos falar sobre a criação da visão única do cliente e também deixar o link do vídeo, onde o CEO da Janrain, fala com propriedade sobre o assunto. É importante deixar claro que para que essa estratégia aconteça, duas áreas precisam estar bem alinhadas e são elas: marketing e TI.   Três perguntam ajudam a ilustrar esse desafio:
  1. Quais são as suas estratégias para ganhar relevância e credibilidade com seu consumidor?
  2. Sua estrutura – de Negócio e TI – está voltada para coletar as informações relevantes desse consumidor ou estão acumulando dados e mais dados sem um propósito claro?
  3. As informações dos seus clientes estão reunidas em um único lugar?
Reunir informações do cliente pode ser uma tarefa complicada pois, esses dados ficam armazenados em diferentes setores, cidades e até países. Uma nova informação é gerada a cada ponto de contato (podendo ou não ser uma venda) e mudanças ocorrem de forma frequente. Sim, criar uma visão holística da jornada do seu consumidor pode ser um baita desafio, mas isso pode ser resolvido se a arquitetura de TI, certa, for utilizada. Por isso que é extremamente importante a aproximação das áreas de TI e Marketing.   Abaixo você pode acessar o vídeo em que Larry Dreves, fundador e CEO da Janrain, fala sobre como fazer com que os dados do consumidor sejam relevantes para o Negócio. Ele também aborda os benefícios de gerenciar essa visão holística do cliente usando ferramentas em Cloud. Essa visão única do cliente é cobiça por diversos profissionais de marketing em diferentes empresas e segmentos. Mas como fazer com que isso se torne realidade? Vai lá, assista a esse vídeo!                               Existem algumas soluções no mercado (Mulesoft, WSO2, Oracle, IBM, SAP, Tibco, Red Hat e outras) que ajudam a integrar dados e sistemas legados da companhia, lembra que a dificuldade está em reunir os pedaços da informação do departamento de marketing, financeiro, trade, TI, P&D e por ai vai. A integração dessa informação pode ser feita via API e em Cloud e algumas das ferramentas citadas anteriormente, nasceram para atender esse objetivo!   No caso da Janrain, eles utilizam o Mulesoft (Anypoint Platform) como peça central nesse objetivo de integrar diversos dados para então criar uma visão única do cliente! Abordaremos duas visões aqui: Negócios e TI. Negócios: Ele conseguiu reunir as principais informações do cliente, definiu quais seriam as informações mais importantes e começou por elas, mas existe um roadmap de evolução, onde novas informações farão parte dessa integração de dados. TI: Utilizando essa ferramenta, eles conseguiram reduzir, drasticamente, o tempo de criação de novos conectores, expandiram a comunidade de desenvolvedores e conseguiram incentivar o reuso dos serviços existentes.   Assista ao vídeo, é interessante e você aprenderá sobre:
  • Como integrar os dados do clientes usando uma ferramenta de Cloud.
  • Exemplos de conexão e sistemas
  • Fases da integração, requisitos, fundamentos, limitações e implementação.
Está desenhando algum projeto de visão unificada do cliente e quer ajuda de um especialista? Entre em contato conosco da Vertigo Tecnologia, podemos te ajudar na escolha da melhor solução! Gostou das nossas dicas sobre como começar uma estratégia de visão holística do cliente? Assine nossa newsletter e receba mais conteúdo direto no seu e-mail! Texto traduzido e inspirado por: blog.Mulesoft

Leia mais


O que você precisa saber sobre Saas?

O que você precisa saber sobre Saas

Mesmo que a sigla SaaS não seja muito familiar para você, é bem possível que já tenha usado algum serviço dessa natureza — se sua empresa usa Office 365, Google Apps, Salesforce, Dropbox ou algo nessa linha, você já tem experiência com o modelo. SaaS é a sigla para Software as a Service (em livre tradução, software como serviço), e refere-se a softwares que, hospedados na nuvem, são oferecidos por provedores em modalidade de aluguel ou assinatura. Isso significa, em outras palavras, que a empresa não precisa mais comprar e instalar um software no computador: basta acessar a URL do serviço através de web browsers e pronto! Tudo o que precisa ter para isso é conexão à internet.

Assim, o serviço torna-se disponível através de qualquer dispositivo, do desktop ao smartphone — bastando estar online — e os custos com hardware e infraestrutura de TI ficam muito menores. Isso permite construir e oferecer serviços (desde CRM a sistemas de gestão empresarial) bem mais dinâmicos, com manutenção e atualizações mais rápidas, e garante maior satisfação ao cliente final com menos trabalho para o time de desenvolvedores. Além disso, a precificação é diferente, já que a empresa não precisa mais pagar por uma licença ao comprar um pacote completo, mas assina o serviço e tem a liberdade de começar (e deixar) de pagar quando achar conveniente.

Neste post, explicaremos melhor como funciona o SaaS e por que essa modalidade deve estar no radar de toda empresa que busca inovar e oferecer serviços de forma ágil e de boa qualidade:

Por que o SaaS é um bom negócio para a sua empresa?

Manutenção e inovação

Como a infraestrutura encontra-se toda concentrada na nuvem, fazer upgrades torna-se muito mais simples. Ao poder atualizar o software para todos os usuários ao mesmo tempo, acaba a necessidade de lidar com a manutenção de versões mais antigas e o feedback é mais imediato, fazendo com que as melhorias possam ser feitas mais rápido e oferecendo uma melhor experiência de uso ao cliente final.

Simples e escalável

As condições de infraestrutura oferecidas por servidores na nuvem tornam o negócio escalável tanto pra o usuário quanto para a empresa, que pode usar MVPs para validar ideias e desenvolver novos produtos e serviços. Além de não requerer investimentos muito grandes em hardware, o SaaS não tem custos de instalação para o usuário, deixando o time de desenvolvimento com mais tempo para desenvolver e fazer upgrades no produto.

Baixo custo

Essa talvez seja a maior vantagem do SaaS e o motivo pelo qual ele tem sido utilizado com muita frequência por startups e empresas de TI como alternativa para o desenvolvimento de novos produtos e serviços. É muito mais simples e barato inovar com um software oferecido como serviço porque não há necessidade de investimentos de capital muito altos para desenvolvimento e manutenção. Esses custos menores tornam o SaaS um modelo muito mais competitivo.

Relacionamento com o usuário

Por ser um serviço mais dinâmico, o SaaS precisa desenvolver diferenciais competitivos que conquistem e mantenham os usuários utilizando-o por um período muito maior. Como as empresas podem investir mais tempo e esforço para garantir uma boa experiência ao usuário, o resultado é um serviço bem prestado e uma fidelização maior dos clientes.

Deu para entender melhor as vantagens do modelo SaaS? Está criando algum projeto que utilize Saas e quer ajuda de um especialista? Entre em contato conos da Vertigo Tecnologia, podemos te orientar nessa escolha! Ainda tem dúvidas, escreva ela aqui nos comentários e vamos conversar! Aproveite para assinar a nossa newsletter, assim você não  vai perder nenhuma dica e novidade aqui do blog!

Leia mais


5 vantagens de usar software open source

5 benefícios de software open source para o seu negócio Conforme o mundo dos negócios e as organizações governamentais se curvam à filosofia do open source, começa a ficar claro que as vantagens de adotar esse conceito não se restringem aos preços — e depois de ler este texto, você provavelmente se perguntará por que sua empresa ainda não “saiu do automático” para adotar essa solução. Diferente do que pensa o senso comum, o open source é uma filosofia alternativa de negócios e não apenas a disponibilização de softwares gratuitos. É importante ressaltar que o código do programa pode ser livre, mas não necessariamente gratuito. Conheça 5 vantagens de usar o open source na sua vida profissional.

Benefícios do open source no seu negócio

 

1 – Mais confiabilidade

Na aquisição de softwares de código fechado, tudo o que o cliente tem são as promessas dos fornecedores sobre o alto nível de segurança que envolve a aplicação. Não há, entretanto, como ter certeza de nada. Por outro lado, se ele tiver instalado em sua máquina um software open source, é possível conferir as linhas codificadas, detalhes da API (interface entre aplicativo e programação) e, assim, ter uma certeza maior do nível de confiabilidade do produto, afinal você saberá para onde as suas informações estão indo.

2 – Maior Interoperabilidade

Por se tratarem de produtos de empresas diferentes (muitas vezes, concorrentes), os softwares proprietários costumam ser pouco flexíveis na sua interação e compatibilidade com outras aplicações. Assim, quem valoriza a interoperabilidade de um software com computadores, sistemas e usuários, certamente se adaptará facilmente às vantagens do open source Mindset. Quando se usa um software open source, a liberdade para integrar  com outras sistemas ERP (SAP, Oracle, IBM e outros) e bancos de dados é maior.

3 – Fontes de suporte muito mais extensas

Nesse quesito, o open source software dá goleada em qualquer software proprietário: são milhares de comunidades de fãs da filosofia do código aberto, debatendo, oferecendo sugestões e auxiliando novos usuários na melhoria de sua experiência de usuário com os mais diversos softwares open source. O Linux é um exemplo de sistema de código aberto que conta com uma infinidade de documentações de excelente qualidade (linhas de programação, APIs, etc.). Tudo de graça e espalhado pela web.

4 – Liberdade de personalização

Embora o conceito de open source envolva manter a autoria do código fonte original, de posse dele é possível desenvolver novas aplicações que se adequem melhor às necessidades da sua empresa. A personalização do software acontece de forma mais rápida.

5 – Redução do Custo Total de Propriedade (TCO)

Na grande maioria dos casos, podemos afirma que o Open Source é mais barato do que o software proprietário, mas que queremos nesse post é mostrar a você que as vantagens de adotar o open source em seu negócio são inúmeras e que elas vão muito além do preço! Entendeu por que as empresas estão aderindo cada vez mais às políticas de open source? Nós da Vertigo Tecnologia usamos bastante soluções open souce! Ainda tem dúvidas sobre o assunto ou quer falar sobre alguma coisa? Deixe o seu comentário aqui no blog!

Leia mais


O Governo e suas APIs

API Integrando sistemas

A conectividade é algo realmente impressionante. Através dela, conseguimos comprar, publicar, comentar e realizar tantas outras funções que facilitam nossa rotina pessoal e profissional virtualmente de qualquer lugar, seja a partir do nosso computador, ou de dispositivos móveis. Mas como atingimos esse nível de interatividade?

As APIs (O que é API?) foram responsáveis por interligar diversos sites e serviços web e por difundir o uso dos apps móveis. Cada vez mais a iniciativa privada está adotando as APIs (API para B2C e B2B). Mas e o Governo? Olhando para os avanços da informação dentro da iniciativa privada, podemos pensar o quanto as APIs podem ser utilizadas por outras entidades, como o governo, para otimizar vários recursos.

Transparência

Através de dados públicos, uma API pode ser usada para fazer a comunicação entre um portal aberto e o sistema de compras do governo, disponibilizando fornecedores, contratos e licitações. Sites como o portal brasileiro de dados utilizam APIs para apresentar suas informações de maneira mais amigável para o usuário, separada por tópicos ou interesses. Muitos apps usam essas APIs para diponibilizar os dados em várias visões diferentes.

Sustentabilidade

Uma API poderia usar, por exemplo, os dados do INPEIPAM e SINIR, para ter uma melhor noção da geração e destinação de resíduos, do desmatamento, degradação florestal e outros dados, tornando-os mais acessíveis e de maior compreensão do cidadão. O próprio cidadão também poderia colaborar com a alimentação desses dados.

Oportunidades de emprego

Utilizando-se de dados de recenseamento demográfico, um aplicativo poderia, através de uma API, mapear a maior empregabilidade de uma certa cidade ou região usando indicadores do IBGE para auxiliar pessoas que estão pensando em se mudar. Poder visualizar se na sua área de atuação existe, ou não, um número considerável de profissionais na região, pode ser determinante para essa decisão.

Educação

Essa é outra área do governo que pode ser amplamente beneficiada pelo uso de APIs. Através delas, as escolas que contam com Educação para Jovens Adultos (EJA) poderiam ser mapeadas, tornando essa informação mais acessível para que adultos que não terminaram os estudos sejam melhor orientados em como retomá-los. Poderiam também ser usadas em uma plataforma digital, que informa qual é a Unidade Municipal de Ensino Infantil, ou UMEI, mais próxima, além de reunir fotos e detalhes da escola.

Conclusão

O Brasil está caminhando para deixar cada vez mais dados acessíveis, definindo uma infraestrutura nacional de dados abertos, o INDA. Algumas das iniciativas, citadas anteriormente, estão em construção. Isso significa mais informação disponível para elaborar APIs mais amplas, complexas e úteis. O Governo brasileiro está investindo cada vez mais na construção de um legado digital,  entre nesse link e conheça a iniciativa.

O poder das APIs pode ser usado para melhorar os serviços prestados ao cidadão, com possibilidades incontáveis e potencial de aplicabilidade enorme. No caso do Rio de Janeiro, a prefeitura está investindo na criação do Carioca Digital, que é um portal único onde o cidadão que tem interesse nas informações do Rio, poderá acessar todos os serviços online oferecidos pela Prefeitura. Investe também no Data.rio, que é um portal de dados abertos que traz informações relevantes sobre vários serviços públicos categorizadas por áreas de interesse.

Frente a tantos possíveis usos das APIs nas esferas governamentais, é impossível não pensar no que ainda está por vir de inovação nesse campo e quantos serviços podem ganhar um boost de qualidade com a ajuda da tecnologia.

Saúde, cultura, moradia, socialização, quais outras áreas você acredita que podem fazer um bom uso de APIs? Conte suas ideias e opiniões para nós ou entre em contato!

Leia mais


Canais

Assine a nossa newsletter:

   


Av. Rio Branco, 151, sala 1002 – Centro
Rio de Janeiro, RJ - Brasil
CEP 20040-911
+55 (21) 2232-0123